Radar Unimed Diário | 18 de julho de 2013 | edição 311
 

Unimed na Imprensa

O ato dos médicos
O presidente da Unimed do Brasil, Eudes de Freitas, divulgou nota onde afirma que o Ato Médico, é positivo, mas os vetos não têm sentido. Segundo ele, a legislação impõe restrições, as quais foram decididas... (Jornal DCI, Opinião/SP – 18/07/2013)

ATO MÉDICO É POSITIVO, PORÉM VETOS NÃO TÊM SENTIDO, AFIRMA PRESIDENTE DA UNIMED DO BRASIL
A Unimed do Brasil considera vitória da classe médica a promulgação da Lei 12.842, que regulamenta a atividade no país e estabelece atividades privativas dos médicos. Porém, discorda dos vetos – por exemplo... (Portal Blog Meireles – Senhor do Bonfim/BA – 17/07/2013)

“Ato Médico” é positivo, porém vetos não têm sentido, afirma presidente da Unimed
Em nota, a Unimed do Brasil considera vitória da classe médica a promulgação da Lei 12.842, que regulamenta a atividade no país e estabelece atividades privativas dos médicos. Porém, discorda dos vetos... (Portal Monitor Mercantil/RS – 17/07/2013)

Unimed Guarapuava inaugura serviço de oncologia Animo no Santa Cruz
Levantamento realizado pelos órgãos de saúde brasileiros aponta que na próxima década serão diagnosticados 500 mil novos casos de câncer por ano. A Unimed Guarapuava inaugurou na noite de segunda-feira, 15... (Portal Diário de Guapuava/SP – 17/07/2013)

Unimed/Noroeste RS projeta incremento de trabalho na área de medicina preventiva
A Unimed Noroeste/ RS pretende incrementar o trabalho na área de medicina preventiva. Segundo o gerente de marketing da cooperativa, Benísio Rodrigues, a Unimed quer atuar cada vez mais na prevenção... (Portal Rádio Progresso de Ijuí/SP – 17/07/2013)

Seguros Unimed realiza ação social voltada à saúde
Colaboradores da companhia realizaram atuação voluntária em instituição que atende comunidade carente em SP. A Seguros Unimed beneficiou 173 pessoas, entre crianças e adultos, no último sábado (13/07)... (Portal Segs/SP – 17/07/2013)

Homem que caiu do telhado é transferido para UTI
Luís Américo Nardi foi transferido para Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital da Unimed. O mecânico de manutenção, de 36 anos, caiu do telhado, da altura de seis metros, enquanto tirava os climatizadores... (Portal Jornal da Cidade/SP – 17/07/2013)

Saúde de Americana confirma quarta morte pelo vírus H1N1 este ano
Vítima é um homem de 59 anos, que não faz parte do grupo de risco. Região soma agora 21casos de morte pela gripe A; Campinas tem sete. A Secretaria de Saúde de Americana confirmou a quarta morte em decorrência... (Portal G1/RJ – 17/07/2013)

 

Notícias de Interesse

Base investe contra MP dos Médicos
A base aliada se uniu à oposição para apresentar uma série de emendas à Medida Provisória (MP) 621, que institui o programa Mais Médicos, com alterações significativas no texto original, a ponto de desfigurá-lo... (Jornal Valor Econômico, Política/SP – 18/07/2013)

Cai regime de urgência para projeto de lei da mineração
O projeto que reformula as regras do setor mineral perdeu o seu regime de urgência. O texto elaborado pelo governo foi enviado ao Congresso no dia 18 de junho. A proposta precisaria ser votada na Câmara... (Jornal Valor Econômico, Política/SP – 18/07/2013)

Médicos alegam falta de direitos e desistem de programa de Dilma
Profissionais recuam de inscrição ao saber que não há 13º e FGTS; federação orienta ir à Justiça. Ministério afirma haver 11,7 mil interessados e diz ser só uma bolsa; PF é acionada para identificar sabotagem... (Jornal Folha de S Paulo, Cotidiano/SP – 18/07/2013)

Risco de demência em idosos cai 25% em países ricos
O número de pessoas acima de 65 anos que sofrem de demência caiu 25% nas últimas duas décadas, segundo estudo realizado na Inglaterra e no País de Gales. Para os pesquisadores, a redução deve atingir outros países... (Jornal Folha de S. Paulo, /SP – 18/07/2013)

Greve em hospital faz Caraguá decretar calamidade na saúde
Caraguatatuba decretou calamidade pública na saúde depois que os médicos do único hospital da cidade do litoral paulista entraram em greve por falta de pagamento. Com a paralisação na Casa de Saúde Stella Maris... (Jornal Folha de S. Paulo, Cotidiano/SP – 180/07/2013)

Congresso desonera exportações, mas Mantega diz não haver espaço para cortes
Ministro admite que temporada de cortes de impostos chegou ao fim, diz que governo está lutando para ter um PIB maior e que seria bom se as pessoas ajudassem em vez de atrapalhar. Em busca do cumprimento... (Jornal O Estado de S. Paulo, Economia/SP – 18/07/2013)

Mais Médicos tem mais inscritos do que vagas
Até quanrta-feira, 17, o número de inscritos no programa Mais Médicos do governo federal, que pretende levar profissionais para cidades do interior do País, já tinha superado o número de vagas oferecidas... (Jornal O Estado de S. Paulo, Metrópole/SP -/2013)

Farmacêuticas entram na mira do governo chinês
Suspeitas de corrupção e venda de medicamentos falsos colocam GlaxoSmithKline (GSK) no epicentro das investigações no setor. Dos anos 80 para cá, a China modernizou hospitais, aumentou em uma década... (Jornal Brasil Econômico, Empresas/SP – 18/07/2013)

Mais intensa hoje, batalha já dura anos
A preocupação dos chineses com a Glaxo teve início há um ano, quando a companhia solucionou uma pendência com o Departamento de Justiça dos EUA, após falha na divulgação de informações sobre dois medicamentos... (Jornal Brasil Econômico, Empresas/SP – 18/07/2013)

Epidemiologia aponta queda de 85% da dengue em Ribeirão
A Secretaria Municipal de Saúde de Ribeirão Preto, interior do Estado de São Paulo, divulgou, no ultimo dia 16, o boletim epidemiológico de dengue, que aponta uma queda de 85% no número de casos. Foram 1.594 em maio... (Jornal DCI, São Paulo/SP – 18/07/2013)

Engenheiro cria aparelho de pressão com acesso pela Web
O engenheiro do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), Flávio Gottardo, desenvolveu um processo inédito de aperfeiçoamento das análises e avaliações dos exames de pressão arterial. E com a facilidade... (Jornal DCI, São Paulo/SP – 18/07/2013)

Vacinação contra hepatite B é ampliada
No ano passado, a idade limite para vacinação gratuita era até 29 anos. A vacina é a medida de prevenção mais segura e eficaz contra a hepatite B. Homens e mulheres com até 49 anos podem receber a vacina... (Jornal DCI, São Paulo/SP – 18/07/2013)

Hospitais de SP internam duas pessoas por dia com lúpus
Os hospitais da rede pública estadual internam, em média, duas pessoas a cada dia com diagnóstico de lúpus eritematoso. É o que aponta um levantamento realizado em 2012, pela Secretaria da Saúde. Foram 637... (Jornal DCI, São Paulo/SP – 18/07/2013)

Segmento de genéricos aponta aumento de 15,3% das vendas em maio
O mercado nacional de genéricos apresentou um crescimento de 15,3% nas vendas contabilizadas em maio deste ano na comparação com o mesmo mês do ano passado, de acordo com informações divulgadas, ontem, pela... (Jornal DCI, Industria/SP – 18/07/2013)

Valor dos planos de saúde varia até - 150% - , diz Mercer
A consultoria Mercer divulgou ontem (17) um estudo comparando os preços dos planos de saúde individuais e os chamados coletivos, que são oferecidos pelas empresas. Na análise foi verificado que os planos... (Jornal DCI, Serviços/SP – 18/07/2013)

Enfermeiros garantem 12% de reajuste e cancelam paralisação na Santa Casa
O Siems (Sindicato dos Trabalhadores em Enfermagem de Mato Grosso do Sul) fechou acordo de reajuste salarial de 12% para a categoria em Corumbá –a 417 km de Campo Grande. Com o acordo, a proposta de paralisação... (Jornal O Estado MS/MS – 18/07/2013)

Moradores reclamam da saúde
Moradores da Cohab São Gonçalo que têm problemas de saúde não conseguem tratamento médico mesmo com o Programa de Saúde da Família (PSF) no bairro. Quando não há falta de médicos, são os remédios que não estão... (Jornal A Gazeta/MT – 18/07/2013)

Greve termina após 17 dias
Enfermeiros, técnicos e auxiliares retornaram ao trabalho na noite desta quarta-feira, após 17 dias em greve. O Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Mato Grosso (Sindessmat) e o Sindicato dos... (Jornal A Gazeta/MT – 18/07/2013)

Médicos definem 2 paralisações no Estado
Médicos de Mato Grosso paralisam as atividades no dia 23 de julho, seguindo movimento nacional da categoria que reclama das atuais decisões do governo federal. A decisão foi votada em assembleia promovida... (Jornal A Gazeta/MT – 18/07/2013)

Acordo garante reajuste de 10% ainda neste mês
Com intermédio do Tribunal Regional do Trabalho, Sinpen-MT e Sindessmat definiram que o salário de enfermeiros, técnicos e auxiliares será reajustado em 10% ainda este mês e o restante dos 21% em março de 2014... (Jornal A Gazeta/MT – 18/07/2013)

6 estados não alcançam meta
Mato Grosso não atinge meta de vacinação contra paralisia infantil e fica entre os 6 estados que não conseguiram imunizar 95% das crianças de até 5 anos. No estado, o alcance foi de 79,6%, por isso a campanha... (Jornal A Gazeta/MT – 18/07/2013)

Parceria beneficia 100 crianças
A Prefeitura de Cuiabá firmou convênio com o Exército Brasileiro para o desenvolvimento do projeto “Forças no Esporte Profesp”, que tem como objetivo ajudar a melhorar a qualidade de vida de crianças e jovens carentes de Cuiabá... (Jornal A Gazeta/MT – 18/07/2013)

Presidente dá "recado" e deixa claro quem comanda economia
O plenário do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) foi o cenário de uma sutil reafirmação da presidente Dilma Rousseff. Em meio aos rumores negados oficialmente pela Presidência de que fará mudanças... (Jornal Valor Econômico, Brasil/SP – 18/07/2013)

DISFOR, BIOLAB
Suplemento de colágeno com alta absorção para prevenção de osteoartrite e cuidados das articulações. A mecânica de funcionamento é baseada na recuperação e estímulo das células produtoras do colágeno... (Revista Super Treino – Campinas/SP – Julho. 13 – pg 14)

Votação dos royalties do petróleo fica para agosto
Foi adiada para o início de agosto, a votação do projeto de lei que direciona os recursos dos royalties do petróleo à saúde e educação (PL 323/07). A informação foi confirmada nesta terça-feira (16) pelos... (Fonte: Informativo Política & Poder/SP – 17/07/2013)

Miss e Mister contra o câncer de mama
A Miss Brasil World 2013, Sancler Frantz, e o Mister Brasil 2013, Reinaldo Dalcin, apoiaram a campanha “Eu amo meus peitos” de prevenção ao câncer de mama, promovida pela Sociedade Brasileira de Mastologia. Durante... (Portal Fator Brasil/RJ – 17/07/2013)

 

Concorrentes

Danilo Sobreira, que está passando o "bastão" ao novo presidente do CVG - RJ, Marcello Hollanda, manda uma mensagem para a nova diretoria e faz um balanço da sua gestão
Danilo Sobreira, ex-presidente e Conselheiro do Clube Vida em Grupo do Rio de Janeiro (CVG-RJ). O ex-presidente e já Conselheiro do Clube Vida em Grupo do Rio de Janeiro (CVG-RJ), Danilo Sobreira, agradece pelo trabalho... (Portal Segs/SP – 17/07/2013)

Jornada Mundial da Juventude tem seguro da SulAmérica
Com ampla expertise, companhia cria seguro viagem específico para peregrinos e voluntários na visita do Papa e se prepara para grandes eventos no Brasil. A SulAmérica fechou parceria com a organização da Jornada... (Portal Segs/SP – 17/07/2013)

 

Agência de Notícias

Sabores juninos se destacam no cardápio do Hospital Unimed Piracicaba

Projeto Ser Sustentável da Unimed Itatiba lança nova fase da campanha “Eu ajudo na lata”

Unimed Volta Redonda participa de reunião do Subcomitê de Atendimento Domiciliar

A Unimed Sorocaba arrecada o equivalente a 300 garrafas pet de 2 litros em campanha

Unimed Goiânia amplia carteira de clientes

Encerradas as inscrições para curso de cuidadores de 2013 na Unimed Varginha

Colaboradores da Unimed Londrina participam da Campanha de Doação de Sangue 2013

Seguros Unimed realiza ação social voltada à saúde

Polêmica em torno do “Testamento Vital” será debatida por Lívia Zago durante Convenção das Unimeds e Unicreds do Norte/Nordeste

Unimed Leste Paulista envolve 850 alunos em concurso de redação

Unimed-BH promove Media Training

Presidente da Unimed Cerrado participa de comemorações do Dia do Cooperativismo na Câmara Federal

 
 
 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O ato dos médicos

O presidente da Unimed do Brasil, Eudes de Freitas, divulgou nota onde afirma que o Ato Médico, é positivo, mas os vetos não têm sentido. Segundo ele, a legislação impõe restrições, as quais foram decididas não à luz da prática, mas para beneficiar ações do governo na área do SUS. A maior alteração feita pelo governo é a formulação de diagnósticos de doenças. (Jornal DCI, Opinião/SP – 18/07/2013)

voltar ao topo





































ATO MÉDICO É POSITIVO, PORÉM VETOS NÃO TÊM SENTIDO, AFIRMA PRESIDENTE DA UNIMED DO BRASIL

A Unimed do Brasil considera vitória da classe médica a promulgação da Lei 12.842, que regulamenta a atividade no país e estabelece atividades privativas dos médicos. Porém, discorda dos vetos – por exemplo, referentes à formulação de diagnóstico de doenças. “Após mais de uma década de tramitação no Congresso Nacional e de intensa luta da Unimed, dos seus mais de 110 mil médicos cooperados e demais entidades de classe, o Ato Médico foi sancionado pela Presidência da República, porém com restrições ao projeto original aprovado no Legislativo. Sem dúvida, a promulgação é uma vitória da classe médica após tantos anos de lutas, porém a legislação inclui restrições, muitas das quais tomadas não à luz da prática, mas para não provocar prejuízos a programas do Sistema Único de Saúde (SUS)”, assinala Eudes de Freitas Aquino, presidente da Unimed do Brasil. O presidente da Confederação vai além e ressalta que a classe médica está perplexa e se pergunta sob qual entendimento, lógica ou pretexto se basearam os vetos presidenciais. “Se caminharmos nesse sentido, em breve os empreiteiros e mestres de obra deverão dividir com os engenheiros a responsabilidade de obras”, compara Eudes. No entanto, o dirigente da cooperativa médica espera o bom senso das autoridades, que prevaleça a versão popular de cada um no seu quadrado e que os médicos sejam respeitados no seu direito legal e histórico. “Este é o caminho mais lógico e, não tenho dúvidas, o melhor para todos. O resto é improvisação e medidas açodadas, despidas dos conhecimentos mais elementares sobre qualificação, profissionalismo e direitos universais”. (Portal Blog Meireles – Senhor do Bonfim/BA – 17/07/2013)

voltar ao topo





































“Ato Médico” é positivo, porém vetos não têm sentido, afirma presidente da Unimed

Em nota, a Unimed do Brasil considera vitória da classe médica a promulgação da Lei 12.842, que regulamenta a atividade no país e estabelece atividades privativas dos médicos. Porém, discorda dos vetos - por exemplo, referentes à formulação de diagnóstico de doenças. Após mais de uma década de tramitação no Congresso Nacional e de intensa luta da Unimed, dos seus mais de 110 mil médicos cooperados e demais entidades de classe, o Ato Médico foi sancionado pela Presidência da República, porém com restrições ao projeto original aprovado no Legislativo. Sem dúvida, a promulgação é uma vitória da classe médica após tantos anos de lutas, porém a legislação inclui restrições, muitas das quais tomadas não à luz da prática, mas para não provocar prejuízos a programas do SUS assinala Eudes de Freitas Aquino, presidente da Unimed do Brasil. O presidente vai além e ressalta que a classe médica está perplexa e se pergunta sob qual entendimento, lógica ou pretexto se basearam os vetos presidenciais. Se caminharmos nesse sentido, em breve os empreiteiros e mestres-de-obra deverão dividir com os engenheiros a responsabilidade de obras compara Eudes. No entanto, o dirigente da cooperativa médica espera o bom senso das autoridades, que prevaleça a versão popular de “cada um no seu quadrado” e que os médicos sejam respeitados no seu direito legal e histórico. Este é o caminho mais lógico e, não tenho dúvidas, o melhor para todos. O resto é improvisação e medidas açodadas, despidas dos conhecimentos mais elementares sobre qualificação, profissionalismo e direitos universais. (Portal Monitor Mercantil/RS – 17/07/2013)

voltar ao topo





































Unimed Guarapuava inaugura serviço de oncologia Animo no Santa Cruz

Levantamento realizado pelos órgãos de saúde brasileiros aponta que na próxima década serão diagnosticados 500 mil novos casos de câncer por ano. A Unimed Guarapuava inaugurou na noite de segunda-feira, 15, o serviço de oncologia Animo. Com capacidade de atendimento para 50 pacientes ao mês, a cooperativa passa à frente de outros municípios do Estado que ainda não possuem estrutura própria. A clínica está localizada no bairro Santa Cruz. “Esse novo serviço vem demonstrar que a Unimed Guarapuava está investindo em saúde”, destacou o médico e diretor presidente, José Abrão Melhem Júnior. A Animo é resultado de mais de dois anos de pesquisa e planejamento. “Estamos aplicando aqui em torno de R$ 400 mil só para estabelecer o serviço”. A preocupação com os protocolos quimioterápicos é grande. Levantamento realizado pelos órgãos de saúde brasileiros aponta que na próxima década serão diagnosticados 500 mil novos casos de câncer por ano. Aproximadamente mil desses pacientes residem na região e 120 devem ser beneficiários da Unimed. Por isso, o início dos protocolos é imediato e será feito de acordo com a busca voluntária dos usuários do plano de saúde. “Ainda não temos uma agenda pronta, mas cremos que a partir desta semana já teremos a procura espontânea dessas pessoas que precisam desse tipo de tratamento”, confirmou Melhem Júnior. O serviço atenderá não só Guarapuava, mas também outros municípios da região de abrangência da Unimed local. Segundo o oncologista e responsável técnico do serviço, Diogo Gavarrete, a capacidade de aplicação por mês é alta e suficiente para suprir a demanda. “50 infusões de quimioterapia é um número maior que o necessário”. (Portal Diário de Guapuava/SP – 17/07/2013)

voltar ao topo





































Unimed/Noroeste RS projeta incremento de trabalho na área de medicina preventiva

A Unimed Noroeste/ RS pretende incrementar o trabalho na área de medicina preventiva. Segundo o gerente de marketing da cooperativa, Benísio Rodrigues, a Unimed quer atuar cada vez mais na prevenção, ou seja, fazer com que as pessoas tenham uma ação pró-ativa, a fim de evitar doenças e não procurar atendimento médico somente para tratamento de problemas de saúde. Benísio Rodrigues enfatiza que ainda neste ano a Unimed pretende oferecer novos produtos na área de medicina preventiva, com foco na alimentação, atividades físicas, cuidado com o psíquico e emocional. O gerente de marketing frisa que várias empresas atuam através da Unimed no segmento de prevenção à problemas de saúde dos funcionários e agora o foco também passa a ser na medicina preventiva com maior ênfase na população em geral que contrata planos de saúde da cooperativa, inclusive jovens. Benísio Rodrigues aproveitou para dizer que desde segunda-feira, 15, a Unimed Noroeste/RS trabalha com uma nova campanha, intitulada “Saúde para Você”. A campanha oferece isenção de carência para consultas e exames simplespara quem aderir a planos de saúde, inclusive com planos a partir de R$ 58,32. (Portal Rádio Progresso de Ijuí/SP – 17/07/2013)

voltar ao topo





































Seguros Unimed realiza ação social voltada à saúde

Colaboradores da companhia realizaram atuação voluntária em instituição que atende comunidade carente em SP. A Seguros Unimed beneficiou 173 pessoas, entre crianças e adultos, no último sábado (13/07), no Lar das Crianças, instituição paulista no Alto da Boa Vista que atende comunidade carente da zona sul. Essa foi a segunda atuação de 2013 do Vida Sustentável, programa de voluntariado corporativo da seguradora, e teve como tema principal o “Cuidar da Saúde com Responsabilidade”. Na ocasião, os voluntários abordaram temas como boa alimentação, a importância da ingestão de água, vacinas e relevância do sono. O Vida Sustentável reflete o compromisso da Seguros Unimed em cuidar de pessoas. Em 2012, por exemplo, as atuações do programa de voluntariado e o Dia de Fazer a Diferença – dia em que é realizado um mutirão do bem com serviços de jardinagem e pintura em instituições espalhadas pelo País – contemplaram 2.186 pessoas e contaram com a participação de 185 voluntários da seguradora, entre matriz e escritórios regionais. As próximas atuações do programa em 2013 ocorrem, respectivamente, em agosto e setembro, e abordarão os temas Economia Doméstica, Meio Ambiente e Saúde. Responsabilidade Socioambiental Não é de hoje que a Seguros Unimed investe em ações sociorresponsáveis. No inicio de 2013, a companhia também patrocinou a peça Mães Iradas e promoveu a Oficina Baguncinha em três unidades do CEU (Centro Educacional Unificado) – Jaçanã, São Mateus e Perus. A iniciativa consistia na realização de workshops com valores socioambientais para promover a interação entre crianças e materiais reciclados. Na área da saúde, a seguradora incentiva constantemente práticas esportivas por meio de patrocínios às etapas do Circuito do Sol, Delta, Eco Run, além da Vênus e W Run, corridas só para mulheres.[2] A cada ano, a Seguros Unimed reforça seu investimento em ações ecologicamente responsáveis, se engajada em minimizar impactos ambientais e conservar recursos naturais. Seus programas são variados: revitalização de praças, estímulo ao descarte correto de cartões feitos de PVC, por meio do Projeto Reciclo, campanhas de redução de energia e de impressão de papel na empresa, estímulo de práticas sustentáveis pelos colaboradores, entre outros. (Portal Segs/SP – 17/07/2013)

voltar ao topo





































Homem que caiu do telhado é transferido para UTI

Luís Américo Nardi foi transferido para Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital da Unimed. O mecânico de manutenção, de 36 anos, caiu do telhado, da altura de seis metros, enquanto tirava os climatizadores de um barracão na quadra 4 da rua Jorge Pimentel, na Vila Engler, região do Jardim Cruzeiro do Sul, em Bauru, na tarde desta terça-feira (16). Segundo a assessoria de imprensa da Unimed, Luís apresenta lesão na coluna vertebral e traumatismo craniano grave. Ele passou por uma neurocirurgia para drenagem do hematoma intracerebral e encontra-se na UTI sob sedação e com respiração artificial. Seu estado é avaliado como estável. A vítima estava em cima de uma telha translúcida, que não suportou o peso dela e quebrou. Luís caiu e foi socorrido inconsciente pela Unidade de Resgate (UR) do Corpo de Bombeiros e levado para o Pronto-Socorro Central (PSC). No momento do acidente, ele estava com um ajudante, que acionou o socorro. Os dois retiravam o sistema de climatização, que seria doado pela fábrica que funcionava no local para uma empresa de embalagens no Jardim Terra Branca. O mecânico estava sem equipamento de proteção. (Portal Jornal da Cidade/SP – 17/07/2013)

voltar ao topo





































Saúde de Americana confirma quarta morte pelo vírus H1N1 este ano

Vítima é um homem de 59 anos, que não faz parte do grupo de risco. Região soma agora 21casos de morte pela gripe A; Campinas tem sete. A Secretaria de Saúde de Americana confirmou a quarta morte em decorrência do vírus H1N1 este ano na cidade. A vítima é um homem, de 59 anos, que morreu no dia 18 de junho, mas a causa do óbito foi confirmada nesta quarta-feira (17). Ele estava internado no Hospital da Unimed, em Santa Bárbara dOeste. Ainda segundo a Secretaria de Saúde, o homem não havia sido vacinado e não fazia parte do grupo de risco. Com essa, o número de mortes provocadas pela gripe A na região de Campinas (SP) subiu para 21. Em Americana, outras três pessoas foram vítimas da doença. Um homem, de 56 anos, no dia 28 de maio e duas mulheres, uma de 47 anos, no dia 20 de junho, e uma grávida, de 26 anos, no dia 16 de maio. Região A Prefeitura de Hortolândia (SP) também confirmou no dia 25 de junho a primeira morte por conta do doença neste ano. A vítima é uma mulher de 56 anos, que fazia parte do grupo de risco. Ela estava internada no Hospital Municipal Mário Covas e morreu no dia 31 de maio. Em Mogi Guaçu (SP), já são duas vítimas confirmadas, uma mulher de 59 anos, que morreu no dia 11 de junho, após permanecer seis dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), da Santa da Casa da cidade e um homem de 44 anos que estava internado desde 19 de junho e faleceu no dia 2 de julho. Duas mortes foram confirmadas no dia 13 de junho pela Secretaria de Saúde de Paulínia (SP). Uma mulher, de 59 anos, morreu no dia 16 de maio com os sintomas da doença, e um homem de 33 anos morreu em 1º de junho. Já em Sumaré (SP), foram registradas três mortes pelo vírus na cidade. Em Valinhos (SP), a morte de mulher de 78 anos, que estava internada desde o final de junho e morreu no dia 4 de julho foi registrada. Em Amparo (SP), foi confirmada a morte de uma mulher de 47 anos, no dia 5 de junho. O número de mortes registradas em Campinas por H1N1 totalizam sete neste ano. A assessoria de imprensa da Secretaria de Saúde informou que 72 casos suspeitos da doença ainda aguardavam confirmação até esta quarta. Neste ano, foram registrados 27 casos de H1N1 na cidade, incluindo os casos fatais e não-fatais. (Portal G1/RJ – 17/07/2013)

voltar ao topo






































Base investe contra MP dos Médicos

A base aliada se uniu à oposição para apresentar uma série de emendas à Medida Provisória (MP) 621, que institui o programa Mais Médicos, com alterações significativas no texto original, a ponto de desfigurá-lo. A maior parte delas foi sugerida por partidos que integram a coalizão da presidente Dilma Rousseff, como PMDB, PSD, PP, PTB, PCdoB e PSB, mas também há dezenas de emendas dos oposicionistas PSDB, DEM e PPS. Só o número de emendas apresentadas, 567, já é um indicativo da alta temperatura que o tema desperta. A MP dos Portos, outra que gerou polêmica e dificuldades para o governo, teve 646. A do setor elétrico, 431. Nos dois casos os interesses, ao menos os explicitados nas emendas, eram muito díspares e fragmentados, o que facilitou o trabalho do governo. Na MP dos Médicos, porém, muitas emendas são idênticas fruto do intenso trabalho das corporações médicas sobre o Congresso antes mesmo de a comissão ser instituída. Segundo parlamentares, três instituições têm tido atuação constante no Legislativo desde a edição da MP: o Conselho Federal de Medicina (CFM), a Associação Médica Brasileira (AMB) e a Federação Nacional dos Médicos. Todas as três contrárias à proposta do governo. Elas apresentaram as propostas de mudança no texto a diversos senadores e deputados, o que fez com que grande parte das emendas tenha mesmo conteúdo. O perfil e objetivo da maioria das emendas pode ser resumido a dois pontos: derrubar a exigência de dois anos adicionais na graduação de medicina para atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS) e barrar a vinda de médicos estrangeiros ao país. Só que foram adotadas estratégias diversas para modificar essas iniciativas. No caso dos dois anos a mais na grade do estudante, dezenas de emendas defendem a remoção completa do capítulo 3 da MP, o que representaria a rejeição completa à mudança na grade curricular de medicina. Mas em uma tentativa de encontrar um caminho alternativo, há propostas que diminuem o serviço em treinamento para um ano ou o tornam obrigatório somente para egressos de universidades públicas ou bolsistas em instituições privadas, por exemplo. Para o senador Waldemir Moka (PMDB-MS), que é médico, este é o ponto mais polêmico, uma vez que nunca havia sido levantado pelo governo em discussões anteriores sobre o setor. "Em relação à questão dos médicos estrangeiros, o governo até tentou argumentar. Mas essa questão do 2º ciclo [dois anos a mais na graduação de medicina], vai ser um debate duro. Eu acho difícil que isso passe", declarou. Já para a restrição a importação de médicos estrangeiros tem modelo diverso, a ideia dos parlamentares é incluir o maior número possível de condições adversas aos médicos estrangeiros, de forma que inviabilize sua vinda. Algumas delas: a necessidade de aprovação de exame de proficiência em português, tradução juramentada de todos os documentos, vedação de que eles trabalhem em áreas fora do programa da MP, exigência da revalidação de seus diplomas em faculdade brasileira, conselhos de medicina são os únicos que podem conceder-lhes registros da profissão, a impossibilidade de prorrogação dos seus vistos de trabalho (a MP permite três anos prorrogáveis por mais três) e impor uma regra de reciprocidade das regras dos dois países e que o país de origem não tenha quantitativo de médicos por habitante inferior ao do Brasil. Além desses dois principais pontos, as emendas tentam ainda restringir a criação de novos cursos de medicina; determinar que o SUS que deve oferecer toda a estrutura de um eventual novo curso; garantir direitos trabalhistas aos bolsistas e integrantes do Mais Médicos; e retirar poderes da estatal Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares sobre o programa previsto na MP. Ao lado do projeto de lei que destina royalties do petróleo para a educação, a MP dos Médicos é prioridade para o Palácio do Planalto na volta dos trabalhos legislativos, em agosto. Ambos integram, nas áreas da educação e saúde, os cinco pontos do pacto anunciado pela presidente Dilma Rousseff na sequência das manifestações populares de junho. Como os outros três pontos ou patinam responsabilidade fiscal e definição de corrupção como crime hediondo ou já foram derrubados plebiscito para reforma política a aposta que resta se concentra neles. Por essa razão, o governo considera fundamental a aprovação sem muitas mudanças. E é por essa razão que alguns dos principais nomes do PT e do PMDB estão escalados para compor a comissão mista, como os líderes do governo no Congresso, José Pimentel (PT-CE), e no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM); do PMDB no Senado, Eunício Oliveira (CE); e do PT na Câmara, José Guimarães (CE). A lista pode mudar, uma vez que a comissão só será instituída em agosto. (Jornal Valor Econômico, Política/SP – 18/07/2013)

voltar ao topo





































Cai regime de urgência para projeto de lei da mineração

O projeto que reformula as regras do setor mineral perdeu o seu regime de urgência. O texto elaborado pelo governo foi enviado ao Congresso no dia 18 de junho. A proposta precisaria ser votada na Câmara até 2 de agosto, para então seguir ao Senado, que teria mais 45 dias para avaliar a proposta. Como já se esperava, no entanto, a Câmara derrubou o regime de urgência, por conta da complexidade do marco regulatório. Isso significa que não há mais um prazo específico para que o projeto seja votado. A situação preocupa o governo e, principalmente, empresas do setor mineral, uma vez que o governo paralisou todas as autorizações de pesquisa mineral, por conta das novas regras que passarão a vigorar. Na Câmara, a proposta do governo recebeu 371 emendas. Entre elas está a proposta do deputado Beto Faro (PT-PA), que assumiu a comissão especial que analisa o Projeto de Lei 5.087, de 2013. Ele propõe que a receita da Contribuição pela Exploração dos Recursos Minerais (Cfem), o royalty da mineração, seja vinculado a gastos com saúde, educação e saneamento. Hoje, o dinheiro pode ser usado para qualquer coisa, sendo vedada apenas a utilização para pagamento de pessoal e de dívidas. O relator do projeto é o deputado Leonardo Quintão (PMDB-MG). Reportagem do Valor desta semana demonstrou que um grupo de apenas 12 municípios concentra 70% de toda a arrecadação da Cfem no país, cobrança que no ano passado atingiu R$ 1,832 bilhão. (Jornal Valor Econômico, Política/SP – 18/07/2013)

voltar ao topo





































Médicos alegam falta de direitos e desistem de programa de Dilma

Profissionais recuam de inscrição ao saber que não há 13º e FGTS; federação orienta ir à Justiça. Ministério afirma haver 11,7 mil interessados e diz ser só uma bolsa; PF é acionada para identificar sabotagem. A uma semana do término das inscrições do programa "Mais Médicos", bandeira do governo Dilma para levar profissionais da saúde ao interior do país, candidatos estão desistindo dele alegando falta de direitos trabalhistas. O governo argumenta que, por se tratar de bolsa de formação, ela não prevê hora extra, 13º salário e FGTS, mas que, como paga INSS, os médicos terão outros benefícios, como para a aposentadoria. Os profissionais receberão R$ 10 mil mensais, com jornada de 40 horas semanais, pelo período de três anos. "Não há direito algum. Fica complicado aceitar um trabalho nessas condições", diz o urologista Cesar Camara, 38, de São Paulo, que fez a inscrição e desistiu de efetivá-la. As regras estão no edital do programa, que diz não haver vínculo empregatício. Mas a Fenam (Federação Nacional dos Médicos) entende que o governo está descumprindo as leis trabalhistas e vai orientar os sindicatos a entrar com ações na Justiça. "Esse programa é uma arapuca. Fere totalmente a legislação trabalhista", diz Geraldo Ferreira Filho, presidente da Fenam. Ele afirma que a entidade não desestimulou a inscrição porque, para muitos, o trabalho é uma "questão de sobrevivência". Para o advogado Otavio Pinto e Silva, professor da USP, a Justiça pode entender que a relação de trabalho prevista no programa configura emprego (por ser contínuo e com subordinação) e deve ser regida pela CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas). Parlamentares estão tentando incluir, na medida provisória que criou o "Mais Médicos", a previsão de um contrato de trabalho e de direitos trabalhistas para médicos que aderirem ao programa. Há propostas do tipo entre as 567 emendas apresentadas por deputados e senadores ao texto original, que está no Congresso há uma semana. SABOTAGEM O Ministério da Saúde disse ontem que 11.701 médicos (2.335 com diploma do exterior) já fizeram a inscrição pela internet, mas não sabe quantas foram efetivadas com envio de documentos. Há também um movimento de boicote ao programa --de médicos que pretendem efetivar a inscrição e desistir depois, para atrapalhar o cronograma e o recrutamento de médicos estrangeiros. O ministério disse estar fazendo um "pente-fino" entre os inscritos, com ajuda da Polícia Federal, para avaliar o real interesse do médico. "Não queremos ninguém que esteja fazendo qualquer tipo de sabotagem para atrasar um programa que visa oferecer médicos para a população", disse Alexandre Padilha, ministro da Saúde. Os médicos também questionam as regras da ajuda de custo que o governo federal oferecerá aos profissionais, que pode chegar a R$ 30 mil, dependendo da região. Pelas normas do programa, na hipótese de desligamento voluntário em prazo inferior a 180 dias, o médico terá que restituir os valores. "E se o profissional não concordar com as condições de trabalho e quiser desistir? Conheço a politicagem no interior. O prefeito muda, o secretário da saúde muda. Se você não puxa o saco, fica em apuros", diz o psiquiatra João Mario Sales, outro que se candidatou e desistiu depois. (Jornal Folha de S Paulo, Cotidiano/SP – 18/07/2013)

voltar ao topo





































Risco de demência em idosos cai 25% em países ricos

O número de pessoas acima de 65 anos que sofrem de demência caiu 25% nas últimas duas décadas, segundo estudo realizado na Inglaterra e no País de Gales. Para os pesquisadores, a redução deve atingir outros países desenvolvidos, confirmando a suspeita de que pessoas mais saudáveis e com maior escolaridade têm risco menor de desenvolverem doenças mentais como o alzheimer. Outro estudo, conduzido na Dinamarca, confirma a tendência. Idosos acima de 90 anos se saíram melhor em testes de habilidade mental aplicados em 2010 se comparados com exames similares realizados no ano 2000 em pessoas da mesma faixa etária à época. As pesquisas, publicadas na revista "Lancet", mostram queda de 8,3% para 6,2% no número de pessoas acometidas por demência. Além do nível educacional, o controle da pressão sanguínea e do colesterol reduz os riscos porque alguns tipos de demência são causados por pequenos derrames e lesões vasculares ao longo da vida. Projeções recentes haviam indicado que o número de pessoas acometidas por esse tipo de doença deveria dobrar nos próximos 30 anos. (Jornal Folha de S. Paulo, /SP – 18/07/2013)

voltar ao topo





































Greve em hospital faz Caraguá decretar calamidade na saúde

Caraguatatuba decretou calamidade pública na saúde depois que os médicos do único hospital da cidade do litoral paulista entraram em greve por falta de pagamento. Com a paralisação na Casa de Saúde Stella Maris, que já dura uma semana, hospitais de cidades vizinhas enfrentam superlotação. No Hospital das Clínicas de São Sebastião, a 25 km, 50 cirurgias eletivas foram canceladas para atender pacientes de Caraguatatuba. A unidade registrou aumento de 25% nos atendimentos do pronto-socorro e o número de partos triplicou --eram 4 por dia, hoje são 12. Um dos casos é o da gestante Fabiane Ferreira, 15. Ela tinha agendado seu parto na Casa de Saúde, mas desde sexta precisa viajar até São Sebastião para acompanhar o final da gestação. Priscila da Veiga, 19, foi atendida na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de Caraguatatuba e, sem maternidade na cidade, teve seu bebê em São Sebastião. "Tive que esperar quase três horas até me trazerem para cá." O impasse em Caraguatatuba teve início em fevereiro. Só a Casa de Saúde tinha pronto-socorro na cidade, mas a prefeitura resolveu construir uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento). Com isso, cortou repasses para atendimento de urgência e emergência no hospital, que somavam mais de R$ 1 milhão por mês. Foi mantida a transferência mensal de R$ 700 mil para outros casos. O diretor clínico da Casa de Saúde, Márcio Rios de Medeiros, diz que o pronto-socorro parou de funcionar, mas que não foi possível reduzir o quadro de funcionários, que precisam estar à disposição para casos mais graves. Ele afirma que a unidade gasta cerca de R$ 500 mil com a folha de pagamento e que o repasse que o município faz atualmente não é suficiente. O salário de três meses dos 70 médicos está atrasado. O prefeito Antônio Carlos da Silva (PSDB) declarou calamidade pública na segunda e pediu intervenção administrativa na unidade. Com isso, todos os funcionários poderão ser demitidos. A direção do hospital afirma que não foi notificada. (Jornal Folha de S. Paulo, Cotidiano/SP – 180/07/2013)

voltar ao topo





































Congresso desonera exportações, mas Mantega diz não haver espaço para cortes

Ministro admite que temporada de cortes de impostos chegou ao fim, diz que governo está lutando para ter um PIB maior e que seria bom se as pessoas ajudassem em vez de atrapalhar. Em busca do cumprimento do esforço fiscal, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, foi categórico: não há mais espaço orçamentário para nenhum novo corte de impostos. Em entrevista exclusiva ao Estado, ele avisou que as desonerações, após dois anos e meio figurando como principal mote da política econômica do governo Dilma Rousseff, "pararam". "Não serão feitas novas desonerações. É isso que não dá para fazer mais. Primeiro, porque as que foram feitas são suficientes. E, segundo, porque não temos espaço fiscal", reconheceu o ministro. A decisão de congelar as desonerações ocorre no momento em que o Congresso tem ampliado renúncias fiscais, enquanto o governo trabalha para fechar mais um corte de despesas do Orçamento para conseguir cumprir a meta fiscal de economizar 2,3% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2013. Segundo Mantega, o governo conseguiu manter sob controle as três principais despesas orçamentárias: previdência, folha de pagamentos dos servidores e pagamento de juros da dívida pública. "Estamos numa trajetória fiscal sólida. E sempre tentando fazer ajuste e cortes que não sejam em investimentos e programas sociais", afirmou. Otimismo. O ministro deixou claro mais uma vez o otimismo com a economia no segundo semestre, principalmente depois que a inflação desacelerou em junho. Mantega admitiu que a alta da inflação foi o "grande" problema para a economia no primeiros meses do ano, mas se transformou numa "boa noticia" para o segundo semestre. "Vinha caindo nos últimos meses e, agora, está chegando num patamar bastante razoável." Com a inflação mais baixa, previu Mantega, haverá recomposição do poder aquisitivo do consumidor, aumento do consumo e das vendas do comércio. Esse movimento, associado à recuperação da renda salarial e menor inadimplência, deve garantir uma alta do crédito que ficou contido no primeiro semestre, prejudicando a retomada econômica. Os bancos, relatou, se preparam para emprestar mais, depois de segurar os financiamentos na primeira metade do ano. Foi essa avaliação que recebeu de banqueiros privados em encontro recente. A Petrobrás contribuirá com a balança comercial. Mantega, que preside o conselho de administração da estatal, afirmou que a empresa fez ajustes e paradas técnicas que reduziram a produção no primeiro semestre. Com isso, houve aumento das importações e queda nas exportações. Mas, a partir de agora, segundo ele, a Petrobrás vai paulatinamente aumentar a produção até chegar ao fim do ano com volume bem maior do que começou. "Essa equação se modificará ao longo do segundo semestre, chegando no seu ápice em dezembro." Crescimento. A combinação desses fatores vai permitir um crescimento do PIB maior, na avaliação do ministro. Pelas suas previsões, a alta do PIB no segundo trimestre de 2013 (ainda não divulgada) foi "muito maior" do que a do mesmo período de 2012. O ministro disse ser "impossível" o PIB crescer menos que no ano passado - quando houve expansão de 0,9%. "Só o que crescemos no primeiro semestre vai ser semelhante ao que crescemos no ano passado inteiro." Mantega classificou de "o cúmulo do pessimismo" as avaliações de que a retomada possa se transformar numa espécie de "falso positivo". "O cara acha que as coisas não vão dar certo no segundo semestre, mesmo que tenha sinais de retomada. É o fim da picada!", criticou. Num desabafo pouco usual ao seu estilo, o ministro afirmou que o governo luta para ter um crescimento maior e "seria bom se as pessoas ajudassem em vez de atrapalhar". Até o fim do ano, citou como maiores desafios a retomada do crédito e do consumo e as concessões de infraestrutura, capazes de mexer muito com as expectativas, hoje negativas. "Trazem investimentos externos e vão movimentar a economia. Mesmo que o investimento ocorra no ano que vem." Depois da forte volatilidade no mercado, o ministro avaliou que a mudança no câmbio será favorável para economia. Sem falar em números, ele previu que a taxa de câmbio não voltará ao patamar que estava antes das turbulências, ficando "um pouco mais alta". (Jornal O Estado de S. Paulo, Economia/SP – 18/07/2013)

voltar ao topo





































Mais Médicos tem mais inscritos do que vagas

Até quanrta-feira, 17, o número de inscritos no programa Mais Médicos do governo federal, que pretende levar profissionais para cidades do interior do País, já tinha superado o número de vagas oferecidas, que é de 10,4 mil, chegando a 11,7 mil candidatos. O número acima do esperado pelo Ministério da Saúde levou o ministro Alexandre Padilha a determinar que a Ouvidoria do órgão telefone a todos os candidatos que já têm algum outro tipo de vínculo empregatício para checar o interesse. Segundo Padilha, a suspeita surgiu há uma semana, quando o ministério começou a receber denúncias de que médicos estariam se organizando pelas redes sociais para fazer inscrições mesmo sem interesse e depois desistirem do posto, apenas para atrapalhar o processo. O ministro pediu que a Polícia Federal acompanhe a movimentação. A PF, no entanto, afirma que o pedido - que precisa ser feito do Ministério da Saúde para o Ministério da Justiça - ainda não chegou. Mas, como vários consultas foram feitas, os policiais estariam monitorando as inscrições. Desde segunda-feira, o Ministério da Saúde, por meio da sua Ouvidoria, está ligando para médicos que se pré-inscreveram e já têm outros vínculos, como residência médica, para perguntar se realmente querem participar do programa”, explicou Padilha. “Estamos estimulando os médicos brasileiros a participar do programa, mas não queremos ninguém que esteja fazendo qualquer tipo de sabotagem para atrasar um programa tão sério que visa a oferecer médicos para a população brasileira.” Do total de profissionais que deram início ao cadastro, 9.366 se formaram no Brasil e 2.335 no exterior, 10.786 são de nacionalidade brasileira e 915, estrangeiros. Pelo Mais Médicos o ministério pretende pagar salários de R$ 10 mil. E colocá-los em cidades que hoje têm vagas sobrando e não conseguem contratar ninguém. As inscrições para o Mais Médicos seguem abertas até 25 de julho e podem ser feitas pelo site do Ministério da Saúde (www.saude.gov.br). As prioridades são cidades do interior - hoje 700 municípios não têm nenhum médico - e as periferias das grandes cidades, onde há infraestrutura mas não há profissionais. A prioridade é para profissionais brasileiros interessados no programa, mas o governo prevê a contratação de estrangeiros para suprir as vagas não preenchidas por médicos nacionais, sem a necessidade de validação do diploma. Os estrangeiros fariam um curso simplificado de adaptação para que pudessem trabalhar apenas nos locais indicados pelo governo brasileiro. Resistência. O programa enfrenta enorme resistência da classe médica, contrária especialmente à contratação de profissionais estrangeiros. Apesar de o Brasil ter apenas 1,8 médicos para cada mil habitantes - e a maioria concentrados nas Regiões Sul e Sudeste do País -, alega-se que o problema da saúde no Brasil é de infraestrutura e não de falta de profissionais especializados. Suspeita-se que a estratégia dos médicos seria atrasar a “importação”. O Conselho Federal de Medicina (CFM), por meio da assessoria, afirmou desconhecer qualquer movimentação contra o Mais Médicos. Afirmou ainda que não partiu do CFM nenhum comando para que inscrições fossem feitas em massa para posterior descredenciamento. (Jornal O Estado de S. Paulo, Metrópole/SP -/2013)

voltar ao topo





































Farmacêuticas entram na mira do governo chinês

Suspeitas de corrupção e venda de medicamentos falsos colocam GlaxoSmithKline (GSK) no epicentro das investigações no setor. Dos anos 80 para cá, a China modernizou hospitais, aumentou em uma década a expectativa de vida da população, reduziu a mortalidade infantil pela metade e eliminou doenças como a poliomielite. Agora chegou a hora de acabar com a corrupção na saúde. Os esforços para limpar uma indústria que fatura US$ 350 bilhões vieram a tona no mês passado, quando a polícia confirmou a investigação sobre a GlaxoSmithKline (GSK), sob a suspeita de crimes econômicos que teriam sido cometidos pela companhia. Ontem, o Departamento de Administração de Alimentos e Drogas do país disse que vai aplicar “punições severas” nos casos de medicamentos falsos, ocultação de documentos e subornos. Seis anos depois de mandar executar o então chefe do departamento por recebimento de propina para aprovar a comercialização de remédios falsos, o governo parece determinado a acabar com a farra da indústria farmacêutica, médicos e funcionários da saúde. “Nós sabemos que a corrupção na China está tão enraizada no setor farmacêutico que para conseguir uma coisa é necessário subornar alguém”, disse Yanzhong Huang, autoridade sênior em relação à saúde no Conselho de Relações Exteriores, em Nova York. “Suborno desenfreado, comissão e corrupção aumentam o preço dos medicamentos. Isso dificulta a reforma e o progresso do sistema público de saúde”. “As investigações devem ocorrer até dezembro”, disse Yan Jiangying, porta-voz do Departamento de Drogas, em Pequim. De acordo com a polícia, que espera contar com a colaboração internacional, as investigações preliminares apontaram que a GSK, maior farmacêutica do Reino Unido, pode estar envolvida com outras empresas estrangeiras. No fim do ano passado, a Eli Lilly & Co. (LLY), concordou em pagar US$ 29,4 milhões para liquidar as investigações do Securities and Exchange Commission (SEC), órgão regulador do mercado de capitais dos Estados Unidos, que apontava para a entrega de comissões e presentes aos funcionários na China, Brasil, Rússia e Polônia envolvidos na assinatura de negócios milionários. Motivo semelhante também já havia levado a Pfizer, a maior empresa do ramo, a desembolsar US$ 60,2 milhões em agosto do ano passado. De acordo com a Comissão Nacional Para a Reforma e Desenvolvimento, órgão máximo de planejamento econômico da China, 27 empresas serão analisadas de acordo com o custo de produção dos remédios. Trinta e três serão investigadas segundo o preço disponibilizado ao mercado. Os laboratórios Merck, Novartis e Baxter são outros que estão na mira do governo. Steve Nechelput, chefe de finanças da Glaxo na China, está proibido de deixar o país. Outros quatro executivos foram detidos em meio a uma investigação envolvendo US$ 489 milhões. A empresa rebateu que as acusações do governo são “vergonhosas. (Jornal Brasil Econômico, Empresas/SP – 18/07/2013)

voltar ao topo





































Mais intensa hoje, batalha já dura anos

A preocupação dos chineses com a Glaxo teve início há um ano, quando a companhia solucionou uma pendência com o Departamento de Justiça dos EUA, após falha na divulgação de informações sobre dois medicamentos populares, que não tinham sido aprovados pelo regulador. A empresa pagou US$ 3 bilhões para engavetar o caso. “Ficamos chocados”, ilustrou Gao Feng, ministro de Segurança Pública da China. A mobilização do governo é tamanha que a emissora estatal China Central Television exibiu no horário nobre da última terça-feira um material detalhado sobre como uma agência de viagens passou a ser utilizada para canalizar os subornos destinados aos funcionários do governo chinês. A emissora destacou Liang Hong, gerente de operações da Glaxo China, explicando como os executivos deveriam passar os subornos para os reguladores e fiscais do setor. Liang é um dos quatro que está sob custódia. A batalha dos chineses contra a corrupção na saúde, no entanto, não é recente. Além da pena de morte aplicada ao regulador Zheng Xiaoyu, em 2007, seu sucessor no departamento de drogas foi emitido em seguida após suspeitas de conduta questionável. Em 2011, um tribunal de Xangai decidiu suspender a sentença de morte a um ex-executivo-chefe da Shanghai Pharmaceutical Group em um caso de desvio de recursos. Desde então, nove executivos de hospitais da cidade de Shenzhen foram investigados sob suspeita de aquisição irregular de equipamentos e medicamentos. (Jornal Brasil Econômico, Empresas/SP – 18/07/2013)

voltar ao topo





































Epidemiologia aponta queda de 85% da dengue em Ribeirão

A Secretaria Municipal de Saúde de Ribeirão Preto, interior do Estado de São Paulo, divulgou, no ultimo dia 16, o boletim epidemiológico de dengue, que aponta uma queda de 85% no número de casos. Foram 1.594 em maio contra 253 em junho. "A redução é uma tendência em função do clima e também em razão das medidas adotadas pela Secretaria, como a organização da atenção básica, a capacitação dos profissionais e o reforço na rede de vigilância em saúde, e também em função da integração intersetorial envolvendo várias secretarias da Administração Municipal", avalia o secretário Stenio Miranda. Apesar da queda, a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde e Planejamento, Maria Luiza da Silveira Santa Maria, mostra-se preocupada com o alto índice de infestação predial registrada em pesquisa realizada durante o mês de junho pela Divisão de Controle de Vetores, alertando, mais uma vez, que a participação da população é muito importante para diminuir a infestação do mosquito. Segundo ela, 80% dos recipientes com larvas do mosquito continuam dentro das residências. "São recipientes fixos como ralos internos e externos, pratos com pingadeiras, botijões de gás, tambores, pias, latões, bebedouros de animais, entre outros", justificou. Na região oeste da cidade foi detectado grande número de materiais descartáveis nos quintais. Na primeira quinzena de maio, a Prefeitura de Ribeirão Preto lançou o plano Ribeirão Contra a Dengue que prevê diversas ações preventivas, educativas e informativas envolvendo várias secretarias e coordenadorias. No dia 20 de maio deste ano foi realizado um mega-arrastão na região norte de Ribeirão Preto, que recolheu 37 mil quilos de recipientes. Também foram realizados dois arrastões setoriais. No total, foram visitados 20.507 imóveis e 69 caminhões recolheram 31.970 quilos de recipientes e 338 pneus. O boletim apontou ainda uma morte por dengue no mês de junho e duas por H1N1. "Também recebemos a confirmação de uma morte por H1N1 ocorrida no mês de março, mas cujos resultados confirmatórios apenas agora foram concluídos", esclareceu a diretora. (Jornal DCI, São Paulo/SP – 18/07/2013)

voltar ao topo





































Engenheiro cria aparelho de pressão com acesso pela Web

O engenheiro do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), Flávio Gottardo, desenvolveu um processo inédito de aperfeiçoamento das análises e avaliações dos exames de pressão arterial. E com a facilidade de poder ser acessado de qualquer parte do planeta que tenha sinal de telefonia celular. Além de ter a vantagem de receber os exames exibidos em gráficos, que dão maior visibilidade para a interpretação médica sobre a pressão do paciente. Gottardo é diretor técnico da empresa Yara Telemedicine , de Belo Horizonte, e também sócio proprietário da Qualitas Engenharia, empresa do polo aeroespacial de São José dos Campos, especializada no desenvolvimento de produtos de alta tecnologia, inclusive para a área médica. Desde a década de 1990, ele desenvolve sistemas inteligentes que podem ser usados em vants, para monitoramento de rios e lagos até indicadores portáteis para diabéticos dependentes de insulina. O engenheiro se deparou com pesquisas médicas impressionantes. Segundo dados do Ministério da Saúde, as doenças crônicas não transmissíveis, conhecidas como doenças do sangue, constituem o maior problema de saúde dentro da medicina e corresponderam a 72% das causas de morte. Isto o fez estudar mais de perto os processos aplicados pelos médicos para obter informações sobre a pressão arterial. Para Gottardo existia uma questão de ordem matemática que poderia ser equacionada a partir de instrumentos específicos. "Como o médico, independente de sua especialização, geralmente não consegue fazer o diagnóstico com uma só medição, passei a pesquisar quais os procedimentos que facilitariam a esse profissional ter informações de seu paciente de maneira remota, sem restrições de mobilidade. Com isso desenvolvi um sistema, o Sistema de Telemetria de Pressão Arterial, pelo qual ele pode acessar os dados da pressão arterial pelo smartphone, tablet, PC ou notebook, basta se conectar a internet", disse Gottardo. A grande vantagem desse processo é que o médico não precisa estar no seu consultório para acessar o exame, além de ter a possibilidade de fazê-lo qualquer momento, mesmo diante de uma emergência. O conceito é simples, mas para desenvolver todos sistemas e equipamentos de maneira a serem práticos e sem dificuldades tanto para o paciente como para o profissional de medicina a situação se complicou. "Foi preciso muita engenharia neste processo, muitas vezes o que se parece uma ideia simples tem uma execução extremamente elaborada por causa das variantes que precisam ser levadas em consideração. Caso não se faça isso, a conta nunca fecha, sempre aparecerá algum problema a ser resolvido na frente, o que não pode acontecer num projeto de trata principalmente da vida da pessoa", explicou. A parte de hardware do produto foi desenvolvida pela Qualitas Engenharia em parceria com fornecedores nacionais. Além de conseguir transmitir por um sistema dedicado, via modem interno, o equipamento é pequeno e de fácil manuseio, sem grandes diferenças dos aparelhos convencionais. Para receber essas informações o médico não necessita de softwares instalados e qualquer aplicativo. Basta se conectar a internet. A Sociedade Brasileira de Cardiologia tem padrões para a pressão arterial que são seguidos pelos médicos. Gottardo conseguiu uma solução de engenharia para colocar as medições em gráficos que correspondam a esses parâmetros estabelecidos pela entidade. Algo até então inexistente. "Mudei o paradigma da visualização, o que deu uma nova grade de pontos para a análise do médico. Esta solução possibilita ao médico uma interpretação mais clara e a prescrição será bem mais precisa", afirmou o engenheiro. (Jornal DCI, São Paulo/SP – 18/07/2013)

voltar ao topo





































Vacinação contra hepatite B é ampliada

No ano passado, a idade limite para vacinação gratuita era até 29 anos. A vacina é a medida de prevenção mais segura e eficaz contra a hepatite B. Homens e mulheres com até 49 anos podem receber a vacina gratuitamente em qualquer posto da rede pública municipal. A vacina também é oferecida aos grupos mais expostos à doença, independentemente da faixa etária, como gestantes, manicures, pedicures, podólogos, caminhoneiros, bombeiros, policiais civis, militares, rodoviários, doadores de sangue, profissionais do sexo e coletores de lixo domiciliar e hospitalar. De acordo com o secretário de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, "Todas as crianças recém-nascidas são vacinadas, mas estamos expandindo a faixa etária a outros grupos visando à eliminação da doença no futuro. Ela é segura, feita com engenharia genética e não tem contraindicação", ressalta o secretário. Toda a produção da vacina de hepatite B é feita pelo Instituto Butantã. A proteção é garantida somente quando a pessoa recebe três doses da vacina. A segunda dose deve ser aplicada 30 dias após a primeira e, a terceira, seis meses após a primeira. A vacina está disponível em 15 Unidades Básicas de Saúde do Município e nas quatro Unidades de Saúde da Família. Em Bauru no ano de 2012 foram registrados 100 casos de hepatite B e em 2013 até o dia 30 de junho foram registrados 68 casos da doença. Sintomas da doença Nem sempre a hepatite B apresenta sintomas. Quando aparecem, podem provocar cansaço, tontura ou ânsia de vômito. A pessoa pode levar anos para perceber que está doente. O diagnóstico e o tratamento precoce podem evitar a evolução da doença para cirrose ou câncer de fígado, por exemplo. O teste, o tratamento e o acompanhamento das hepatites virais estão disponíveis no SUS. (Jornal DCI, São Paulo/SP – 18/07/2013)

voltar ao topo





































Hospitais de SP internam duas pessoas por dia com lúpus

Os hospitais da rede pública estadual internam, em média, duas pessoas a cada dia com diagnóstico de lúpus eritematoso. É o que aponta um levantamento realizado em 2012, pela Secretaria da Saúde. Foram 637 internações da doença autoimune, que ainda não possui causa conhecida e não tem cura. O lúpus atinge o sistema imunológico do doente, que passa a produzir anticorpos que atacam e provocam inflamação de células e tecidos saudáveis do corpo. Pele, rins e o sistema nervoso central são as partes mais afetadas pelo lúpus. O tratamento inclui o uso de protetor solar, anti-inflamatórios, corticoides e imunossupressores, mas os procedimentos variam de acordo com cada indivíduo. (Jornal DCI, São Paulo/SP – 18/07/2013)

voltar ao topo





































Segmento de genéricos aponta aumento de 15,3% das vendas em maio

O mercado nacional de genéricos apresentou um crescimento de 15,3% nas vendas contabilizadas em maio deste ano na comparação com o mesmo mês do ano passado, de acordo com informações divulgadas, ontem, pela Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos (PróGenéricos), com base nos dados disponibilizados pelo IMS Health, instituto que audita o mercado farmacêutico no Brasil e no mundo. O levantamento apresentado pela instituição também apontou que os cinco medicamentos genéricos mais vendidos no País durante o mês de maio são cópias legítimas de grandes marcas conhecidas pelo público brasileiro como, por exemplo, Novalgina, Viagra e Tylenol. Com preços em média 50% mais baratos que os produtos de referência, os genéricos representaram uma economia de R$ 32 bilhões aos consumidores, desde que chegaram às farmácias há 13 anos. De acordo com a PróGenéricos, se não existisse essa opção, os consumidores brasileiros teriam gasto, aproximadamente, R$ 37,2 bilhões a mais do que foi gasto na compra de medicamentos nesse período. Mais vendido O genérico mais vendido durante o mês de maio foi o antihipertensivo Losartana Potássica, que antes de se transformar em genérico era comercializado como Cozaar. Apenas esse produto foi responsável por 5,63% das vendas totais de medicamentos genéricos no País. Em seguida vem a Dipirona Sódica, genérico da Novalgina, com 4,74% das vendas do setor. Em terceiro lugar em vendas aparece o Citrato de Sildenafila, que fez sucesso como Viagra, com 3,70% das vendas em unidade. Enquanto isso, o anti-hipertensivo Atenolol, genérico do Atenol, ocupa a quarta posição com 3,40% das vendas, seguido do Paracetamol, genérico do Tylenol, com 2,89% de participação de mercado, na quinta posição. Os cinco medicamentos juntos responderam por 20,36% das vendas do mercado de genéricos em maio. Concorrência O mercado de genéricos ganhou um novo concorrente em junho desse ano, com o início das vendas da Torrent Brasil, multinacional indiana, que almeja conquistar 2% desse segmento nos próximos dois anos. De acordo com o presidente da empresa no Brasil, Orlando Famá Junior, a entrada no mercado de genéricos deve colaborar com o aumento do faturamento neste ano, que deve atingir 23% a mais do valor contabilizado no ano passado. (Jornal DCI, Industria/SP – 18/07/2013)

voltar ao topo





































Valor dos planos de saúde varia até - 150% - , diz Mercer

A consultoria Mercer divulgou ontem (17) um estudo comparando os preços dos planos de saúde individuais e os chamados coletivos, que são oferecidos pelas empresas. Na análise foi verificado que os planos individuais custam entre 50% e 150% a mais que os planos empresariais de cobertura semelhante, dependendo da abrangência da cobertura. A pesquisa revelou ainda que há pequenas diferenças entre os benefícios de cada pacote. Entre as principais disparidades entre as duas modalidades de convênio, a consultoria afirmou que enquanto os planos empresariais contam com reembolso, alguns dos planos individuais não têm. (Jornal DCI, Serviços/SP – 18/07/2013)

voltar ao topo





































Enfermeiros garantem 12% de reajuste e cancelam paralisação na Santa Casa

O Siems (Sindicato dos Trabalhadores em Enfermagem de Mato Grosso do Sul) fechou acordo de reajuste salarial de 12% para a categoria em Corumbá –a 417 km de Campo Grande. Com o acordo, a proposta de paralisação e manifestação em frente ao Hospital de Caridade, na Santa Casa, foi suspensa. As negociações começaram terça-feira (16) e se encerraram em assembleia realizada na manhã de ontem. Os trabalhadores aceitaram as propostas da prefeitura municipal, que coordena desde maio de 2010 a junta interventora que administra a Santa Casa. “Rejeitamos de imediato uma proposta de 5,5% de reajuste, pedimos 16% e fechamos com os 12% e outros benefícios, que devem ser complementados pela lei federal que reduz a carga para 30 horas semanais”, afirmou a secretária-geral do Siems, Helena Delgado. Pagamentos serão retroativos a 1º de maio de 2013Os pagamentos de benefícios aprovados serão retroativos a 1º de maio de 2013, de acordo com o presidente do Siems, Lázaro Santana. O prefeito Paulo Duarte confirmou o pagamento retroativo em folhas suplementares de maio e acrescentou que a prefeitura planeja oferecer cursos de qualificação para a categoria. O Hospital de Caridade de Corumbá tem quadro funcional com 2 atendentes de enfermagem; 34 auxiliares; 116 técnicos e 32 enfermeiros. Todos receberão os benefícios acertados na negociação. Ao todo, são 184 funcionários beneficiados pelo acordo. A intervenção na Santa Casa, que inclui o Hospital de Caridade, o Pronto Socorro Municipal, o Centro de Oncologia, a Maternidade Municipal e o Centro de Saúde da Mulher, começou em maio de 2010, quando passou a ser administrada por uma junta interventora, com a coordenação da prefeitura de Corumbá e representante do governo do Estado. Antes, o hospital era administrado pela Associação Beneficente Corumbaense. O prazo inicial de dois anos foi prorrogado por mais dois anos, até 2014. A intervenção foi solicitada pelo MP e determinada pela Justiça. (Jornal O Estado MS/MS – 18/07/2013)

voltar ao topo





































Moradores reclamam da saúde

Moradores da Cohab São Gonçalo que têm problemas de saúde não conseguem tratamento médico mesmo com o Programa de Saúde da Família (PSF) no bairro. Quando não há falta de médicos, são os remédios que não estão disponíveis e até gestantes precisam se consultar na rede particular para conseguir fazer o pré-natal. Para os 6 mil moradores, cuidar da saúde requer idas a outros bairros ou à Policlínica do Coxipó para conseguir o atendimento básico, mesmo assim, nem sempre é possível conseguir uma consulta ou exame, o que prejudica, principalmente, gestantes e crianças. Desde a entrada do prédio destinado à unidade de saúde já é possível ver o abandono do local. Calçada e portão quebrados, pintura que descasca em toda a fachada e rachaduras visíveis são apenas uma amostra do que o paciente irá encontrar lá dentro. Apesar das grandes árvores que rodeiam o prédio, nada mais é bonito ou eficiente, a começar pelo atendimento. Moradores esperam horas na fila durante a madrugada para garantir uma das 17 vagas ofertadas por cada médico. Das especialidades que deveriam ser disponibilizadas, apenas um pediatra e um clínico geral trabalham no PSF. Sem alternativa, os moradores apertam todo o orçamento para pagar os atendimentos. A disputa por vagas nos consultórios começa às 3 horas da manhã e pegar um ficha nem sempre é garantia de atendimento. A serviços gerais Maria Cristina de Almeida Farias, 41, e sua filha Jéssica Cristina de Almeida Farias conhecem essa realidade de perto. Mãe do pequeno Davi Lucas de 3 meses, Jéssica tentou fazer consultas no PSF até o quinto mês de gravidez. “Depois desisti e todo mês tínhamos que pagar R$ 100 no hospital particular ou meu filho teria nascido sem que eu fizesse nenhuma consulta ou exame”. Moradora do bairro há 18 anos, Maria Cristina reclama que nem sempre o atendimento no posto foi ruim, mas que hoje além das poucas vagas, quando a consulta é marcada o médico ainda demora para atender. “É comum a consulta estar marcada para 13h30 e o médico aparecer depois das 17h. É um descaso com os pacientes e isso quando tem médico para atender”. Depois da gravidez onde os acompanhamentos médicos foram feitos na rede particular, Jéssica desabafa sobre os problemas rotineiros no PSF. “Não sei porque está aberto, porque nada funciona. Não tem remédios, médicos ou qualquer tipo de atendimento”. No PSF a vacinação de crianças e adultos é realizada apenas uma vez por semana, pois a geladeira para armazenar as doses está quebrada. Os pacientes com doenças crônicas, cadastrados para receberem medicamentos, não têm acesso aos remédios diários que estão em falta há alguns meses. “Se a pessoa não tem condições de comprar o que precisa acaba morrendo, porque no Posto de Saúde não tem nem os remédios mais básicos”, reclama o presidente da Associação de Moradores, Rustison Pedroso. OUTRO LADO A Coordenadoria de Atenção Básica da Secretaria de Saúde afirmou que não há falta de medicamentos em nenhum Posto de Saúde da Família, mas que mesmo assim vai entrar em contato com o PSF da Cohab São Gonçalo para verificar se existe a necessidade de uma atualização nos números de solicitação dos medicamentos. Também afirma que não há falta de médicos. Naquele PSF atendem 3: um ginecologista, um clínico-geral e um pediatra. (Jornal A Gazeta/MT – 18/07/2013)

voltar ao topo





































Greve termina após 17 dias

Enfermeiros, técnicos e auxiliares retornaram ao trabalho na noite desta quarta-feira, após 17 dias em greve. O Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Mato Grosso (Sindessmat) e o Sindicato dos Profissionais de Enfermagem (Sinpen) negociaram reajuste salarial e da cesta básica em torno de 20%, escalonado em 2 parcelas. Em Cuiabá, pacientes das unidades particulares e filantrópicas de saúde foram afetados com a situação, incluindo os que estão em tratamento no Hospital do Câncer, onde pelo menos metade das cirurgias deixaram de ser realizadas e sessões de quimioterapia foram adiadas. Somente no início da tarde de ontem, 3 pacientes pediátricos deixaram de ser internados para dar continuidade ao tratamento. Com 21 leitos, a ala pediátrica contava com 10 crianças e não tinha como receber mais, diante do baixo número de profissionais para prestar o atendimento, conforme informação da coordenadora de Recepção, Carolina Garcia. “Os pacientes com câncer precisam de atendimento especializado e com apenas 30% dos enfermeiros trabalhando é difícil realizar a internação de todos”. O hospital se comprometeu a receber os 3 pacientes na manhã de hoje. Entre eles está o filho de Angela Furtado, Andrey, 15. A mãe relata que tenta dar continuidade ao tratamento do adolescente desde a semana passada e a resposta é sempre a mesma: não há condições de internar por causa do baixo efetivo de enfermeiros e técnicos. Ontem, vestida de preto e usando máscara de caveira, foi até o hospital cobrar mais uma vez a internação de Andrey, que está em tratamento há 8 meses contra leucemia linfoblástica aguda. “Já entrei com pedido na Justiça e fui mais uma vez pedir que o internassem. E fui ao hospital para chamar a atenção, sei que meu filho tem esse direito. Não tenho nada contra a greve, entendo como um direito. O problema é que inocentes podem pagar com a vida. Câncer é uma doença grave e um dia sem tratamento representa muito”. A representante do hospital destaca que os casos mais graves tiveram prioridade no atendimento, porém confirma que houve queda nas internações, principalmente nas relacionadas a cirurgias. Estima que pelo menos metade dos pacientes não passou pelos procedimentos eletivos, pois não havia condição de prestar o atendimento adequado. Na ala destinada a esses pacientes, dos 37 leitos, somente 12 estavam ocupados ontem. “Todos os casos de urgência e emergência foram garantidos, assim como as cirurgias eletivas mais graves”. Com o fim da grave, Carolina afirma que o corpo clínico se reunirá para viabilizar meios de atender todos os pacientes e realizar as cirurgias que foram suspensas com a maior urgência possível. (Jornal A Gazeta/MT – 18/07/2013)

voltar ao topo





































Médicos definem 2 paralisações no Estado

Médicos de Mato Grosso paralisam as atividades no dia 23 de julho, seguindo movimento nacional da categoria que reclama das atuais decisões do governo federal. A decisão foi votada em assembleia promovida pelo Conselho Regional de Medicina do Estado. Está prevista ainda a realização de uma greve nos dias 30 e 31 de julho, além de viagem para Brasília no dia 8 de agosto, quando médicos de todo o Brasil se reúnem com parlamentares. Na reunião, foi criado um fundo voltado para divulgação das ações e esclarecimento da sociedade sobre a realidade da saúde no país, especialmente nas cidades do interior. Diretor do Sindicato dos Médicos de Mato Grosso (Sindimed-MT), Werley Peres explica que a campanha dos profissionais terá como foco rebater as informações prestadas pelo governo federal. “Queremos esclarecer os pontos mais críticos, que são divulgados de maneira equivocada para a população”. Entre os assuntos combatidos está a interiorização dos profissionais e chamamento de estrangeiros para trabalhar nas cidades mais afastadas. Peres destaca que Mato Grosso, assim como o Brasil, não tem carência de médicos, mas sim de estrutura adequada para prestar o atendimento digno à sociedade. Cita que a falta de gestão adequada e verba para manter as unidades formam um quadro caótico, que afugenta os profissionais. “Saúde não é feita apenas com a presença do médico, requer muito mais que isso. Precisa de estrutura, condições de trabalho, oferta de medicamentos. Tudo isso falta em boa parte das cidades do interior. Para o diretor, a importação de mão de obra não representa solução, podendo ainda gerar mais um problema na medida em que a União quer dispensar o Revalida (avaliação obrigatória para médicos estrangeiros atuarem no Brasil). Avalia que isso promove a falta de controle de qualidade do profissional que entrará no país para atender a população. Outro ponto de combate é a ampliação do tempo de curso de Medicina de 6 para 8 anos, com obrigatoriedade dos recém-formados trabalharem 2 anos no Sistema Único de Saúde (SUS). “Este é um ato anti-democrático. Como um governo livre pode querer obrigar um profissional a ficar onde ele não quer. O estudante ficará sem nenhum acompanhamento, isso representa precarização da classe. ENCAMINHAMENTOS Peres destaca que Mato Grosso segue os encaminhamentos nacionais, comandados pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), Associação Médica Brasileira (AMB), Associação Nacional dos Médicos Residentes (ANMR) e a Federação Nacional dos Médicos (Fenam). (Jornal A Gazeta/MT – 18/07/2013)

voltar ao topo





































Acordo garante reajuste de 10% ainda neste mês

Com intermédio do Tribunal Regional do Trabalho, Sinpen-MT e Sindessmat definiram que o salário de enfermeiros, técnicos e auxiliares será reajustado em 10% ainda este mês e o restante dos 21% em março de 2014. A majoração da cesta alimentação respeita as mesmas datas. A negociação ocorreu durante a manhã, após várias tentativas de encontro entre os sindicatos no TRT. O serviço foi retomado às 19h. A greve teve início em 1º de julho, quando o Sindessmat ofereceu reajuste de 6%, contra o pedido da categoria que superava 20%. Na sequência, o sindicato patronal protocolou dissídio coletivo de 7% e tentava ampliar o número de profissionais nos PAs (de 30% para 50%) e nas Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) (de 50% para 70%). A ação foi extinta pelo desembargador Edson Bueno e a reunião marcada. Com a convenção coletiva de trabalho, o sindicato laboral poderá pleitear novo reajuste somente a partir de março de 2015. Cada profissional tem ainda o compromisso de repor todos os plantões que não realizou durante os 17 dias de greve até 2015. O acordo definiu que o piso salarial dos auxiliares sobe de R$ 680 para R$ 750 em julho e R$ 825 no próximo ano. Já os técnicos de enfermagem que ganhavam R$ 827, passam a ter rendimentos de R$ 900 a partir de julho e R$ 1 mil em março de 2014. Em relação aos enfermeiros, o piso passará de R$ 1.620 para R$ 1.750. Com o reajuste previsto para 2014 ficará em R$ 1.838. Todos os profissionais garantiram o recebimento de cesta básica de R$ 130 ainda este ano e R$ 145 a partir de março de 2014. Diretor do Sinpen-MT, Arlindo César Ferreira destaca que a negociação não agradou a todos os profissionais, que pretendiam o reajuste total de maneira imediata. Porém, entende que saíram vitoriosos diante do percentual superior a 20%. “Em 10 anos de sindicato é a primeira vez que conseguimos um reajuste como esse”. RONDONÓPOLIS Os profissionais de Rondonópolis (212 km ao Sul de Cuiabá) participarão de reunião com o Sindessmat ainda esta semana para por fim à greve da cidade. A categoria que atua no Hospital Regional já entrou em acordo com a própria unidade e voltou aos serviços. O representante do Sinpen da região Sul, Evair de Souza, acredita que o resultado do acordo será positivo. (Jornal A Gazeta/MT – 18/07/2013)

voltar ao topo





































6 estados não alcançam meta

Mato Grosso não atinge meta de vacinação contra paralisia infantil e fica entre os 6 estados que não conseguiram imunizar 95% das crianças de até 5 anos. No estado, o alcance foi de 79,6%, por isso a campanha foi prorrogada por tempo indeterminado. Em agosto será aplicada a segunda dose da vacina, o que pode aumentar a procura nos Postos de Saúde da Família (PSFs). Cuiabá está entre os municípios que não atingiram a meta, pois das 37,9 mil crianças, apenas 62,18% receberam a vacina. As doses continuarão disponíveis nos PSF e para receber a dose a mãe deve levar a carteira de vacinação do filho. Mesmo com a distância da meta do Ministério da Saúde, no Estado 2 municípios se destacam por terem ultrapassado essa porcentagem. Em Primavera do Leste, mesmo antes do fim da campanha a meta já havia sido alcançada e os dados preliminares são de que a cidade atingiu 95.83% do público alvo. Rondonópolis atingiu 96% das crianças, o que encerra a primeira fase da campanha no município. A campanha contra a paralisia infantil já havia sido prorrogada em todo o Brasil no final de junho para que as metas fossem alcançadas, porém, além de Mato Grosso, Tocantins, Piauí, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Distrito Federal também não atingiram a cobertura ideal. Foram investidos pelo Ministério da Saúde R$ 13,7 milhões para a compra de 19,4 milhões de doses da vacina. Em 2013, a meta de vacinação é de 14,1 milhões de crianças vacinadas, mas em todo o país cerca de 86% do público alvo foi imunizado. A nova prorrogação da campanha é porque quase 2 milhões de crianças que ainda não foram vacinadas, mas que estão dentro da meta, possam receber a primeira dose do medicamento. Desde 1989 não são registrados casos da doença no país, o que rendeu uma certificação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Mesmo sem novos casos, a imunização na infância é importante para que o vírus não volte a se instalar no Brasil, pois ainda há registros de poliomielite em 16 países. A paralisia infantil é uma doença infecto-contagiosa que causa paralisia principalmente nos membros inferiores. Sua transmissão ocorre pelo Poliovírus, que entra pela boca e é carregado nas fezes, saliva, tosse ou espirro. Do contágio até o desenvolvimento da poliomielite há um período médio de uma semana a 12. Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Saúde, os municípios que não atingiram a meta já receberam comunicados para trabalhar na imunização até que os 95% sejam alcançados. A expectativa é que o problema seja normalizado até agosto, quando começa a campanha para a segunda dose da vacina. (Jornal A Gazeta/MT – 18/07/2013)

voltar ao topo





































Parceria beneficia 100 crianças

A Prefeitura de Cuiabá firmou convênio com o Exército Brasileiro para o desenvolvimento do projeto “Forças no Esporte Profesp”, que tem como objetivo ajudar a melhorar a qualidade de vida de crianças e jovens carentes de Cuiabá. São atendidas ao todo 100 crianças, com idades entre 7 e 15 anos, dos bairros Renascer, Jardim Colorado e Pedregal que frequentam os serviços de convivência e fortalecimento de vínculos na assistência social e também crianças do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti) e do Siminina. Durante 3 dias por semana, pela manhã, os participantes vão até o 44º Batalhão de Infantaria Motorizada para praticar esportes, ter aulas de reforço escolar e atendimentos médico e odontológico. As atividades são desenvolvidas até dezembro e a Prefeitura de Cuiabá fornece o transporte e uniforme às crianças. Segundo o Major Darlan, ao iniciar o projeto todas as crianças passam por avaliação médica e odontológica e são avaliadas constantemente. “Além da mudança na saúde, as crianças também têm uma mudança significativa no comportamento. Muitas chegam aqui arredias e ansiosas. E isso vai mudando ao longo do projeto. Elas aprendem, por exemplo, a dar a vez, ajudar o próximo e a respeitar os mais velhos. Algumas crianças não têm a atenção dos pais ou familiares para ensinar essas noções. É gratificante fazer esse trabalho e fazer a diferença na vida desses jovens”. (Jornal A Gazeta/MT – 18/07/2013)

voltar ao topo





































Presidente dá "recado" e deixa claro quem comanda economia

O plenário do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) foi o cenário de uma sutil reafirmação da presidente Dilma Rousseff. Em meio aos rumores negados oficialmente pela Presidência de que fará mudanças na equipe econômica, e às cobranças de aliados sobre a necessidade de se restaurar a confiança do governo junto ao mercado, ontem a presidente passou o recado: quem define os rumos da política econômica brasileira trabalha no terceiro andar do Palácio do Planalto, e não na Esplanada dos Ministérios. Em Brasília, ausências de autoridades nos locais de destaque de solenidades oficiais quase nunca decorrem de falhas do cerimonial. Por essa razão, um detalhe não passou despercebido entre os presentes. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, cancelara na véspera uma viagem internacional. Em vez de ir a uma reunião do G-20, permaneceu em Brasília para tratar de questões orçamentárias e foi à reunião que celebrou os dez anos da criação do chamado Conselhão. Mas não fez a sua já tradicional apresentação sobre a conjuntura econômica e os impactos da crise financeira internacional sobre o Brasil. Coube à própria presidente da República comentar a situação econômica do país e sinalizar o que está por vir. Num discurso de quase uma hora, Dilma abordou praticamente todos os temas que constam do atual debate econômico. "Aproveito aqui para repelir as posturas pessimistas quanto à economia brasileira, hoje e no futuro próximo", disse a presidente, logo na primeira parte do seu discurso. Como prova de que há confiança no Brasil, prosseguiu Dilma, as concessões de projetos de infraestrutura à iniciativa privada atraem investidores. O governo também está otimista em relação à licitação de áreas de exploração do pré-sal, acrescentou. A presidente disse que a inflação está sob controle. Destacou que o Brasil apresenta uma condição de robustez fiscal, lembrando também que o país conta com reservas internacionais suficientes para enfrentar ajustes conjunturais. Em mais uma prova de que a política econômica é sua, e não de Guido Mantega, Dilma reproduziu o discurso costumeiro do ministro da Fazenda. Além dos sinais ao meio empresarial de que está comprometida a elevar a competitividade do país, a presidente não deixou de acenar ao tradicional eleitorado petista e ao meio político. Movimentos sociais historicamente ligados ao PT também saem às ruas para protestar contra o governo do partido, e legendas da base não dão seguimento aos projetos de interesse do Palácio do Planalto no Congresso Nacional. De um lado, Dilma demonstrou estar disposta a enfrentar "velhos interesses" para permitir que o país dê "passos mais ousados". Do outro, reconheceu que há espaço para melhorias, como redução dos impostos e da burocracia. E destacou que seu governo tem a "força necessária" para alcançar esses objetivos. (Jornal Valor Econômico, Brasil/SP – 18/07/2013)

voltar ao topo





































DISFOR, BIOLAB

Suplemento de colágeno com alta absorção para prevenção de osteoartrite e cuidados das articulações. A mecânica de funcionamento é baseada na recuperação e estímulo das células produtoras do colágeno, e também na melhora do estado geral da estrutura de cartilagem existente. É encontrado em caixa de 330g, contendo 30 sachês. www.biolabfarma.com.br. (Revista Super Treino – Campinas/SP – Julho. 13 – pg 14)

voltar ao topo





































Votação dos royalties do petróleo fica para agosto

Foi adiada para o início de agosto, a votação do projeto de lei que direciona os recursos dos royalties do petróleo à saúde e educação (PL 323/07). A informação foi confirmada nesta terça-feira (16) pelos líderes do governo, Arlindo Chinaglia (PT-SP), do DEM, Ronaldo Caiado (GO), e do PMDB, Eduardo Cunha (RJ). Segundo eles, não houve acordo para a votação nesta semana. A proposta que destina os recursos dos royalties do petróleo para esses dois setores foi aprovada no Senado no início do mês e retornou à Câmara após ser modificada pelos senadores. Na semana passada os deputados chegaram a aprovar o parecer do relator, deputado André Figueiredo (PDT-CE), que rejeitou a maioria das alterações feitas pelo Senado e restabeleceu o texto da Câmara. A liderança do governo, no entanto, defende a proposta aprovada no Senado. A principal polêmica diz respeito às verbas do Fundo Social. O governo defende a aplicação obrigatória de 50% dos rendimentos do fundo em saúde e educação, já a oposição e alguns deputados da base aliada querem que metade das verbas totais do fundo seja investida nos setores. Como a decisão era prioridade e a pauta de votações da Casa estaria trancada de qualquer forma no período, o Plenário da Câmara aprovou um “recesso branco”. Com isso, não haverá sessões entre 18 e 31 de julho. (Fonte: Informativo Política & Poder/SP – 17/07/2013)

voltar ao topo





































Miss e Mister contra o câncer de mama

A Miss Brasil World 2013, Sancler Frantz, e o Mister Brasil 2013, Reinaldo Dalcin, apoiaram a campanha “Eu amo meus peitos” de prevenção ao câncer de mama, promovida pela Sociedade Brasileira de Mastologia. Durante evento social realizado no último domingo, na Baixada Fluminense, eles posaram com a camisa da campanha, que tem por objetivo chamar a atenção da mulher para a importância de se cuidar, visitando o mastologista e realizando periodicamente a mamografia a partir dos 40 anos. (Portal Fator Brasil/RJ – 17/07/2013)

voltar ao topo





































Danilo Sobreira, que está passando o "bastão" ao novo presidente do CVG - RJ, Marcello Hollanda, manda uma mensagem para a nova diretoria e faz um balanço da sua gestão

Danilo Sobreira, ex-presidente e Conselheiro do Clube Vida em Grupo do Rio de Janeiro (CVG-RJ). O ex-presidente e já Conselheiro do Clube Vida em Grupo do Rio de Janeiro (CVG-RJ), Danilo Sobreira, agradece pelo trabalho realizado por sua diretoria nesse período de 2011 a 2013 e enfatiza a responsabilidade e a certeza de que cada qual deu de si o máximo. O resultado desse empenho foi a aprovação manifestada pelo quadro social. "Fixamos algumas metas sendo, uma delas, passar experiências objetivando amadurecer e preparar três sócios efetivos para, no futuro, poderem se postular a presidência do CVG e encerramos o mandato com quatro sócios absolutamente prontos.", comenta Sobreira. Ele destaca que o seu mandato foi marcado por cursos importantes e várias palestras, que ajudaram a ampliar o conhecimento dos profissionais do mercado. E cita como exemplos as palestras proferidas pelo diretor-executivo da FenaSaúde, José Cechin, o almoço palestra do Superintendente da SUSEP Luciano Portal Santanna e ainda destaca, a última palestra sobre Previdência Privada Complementar, ministrada pelo presidente da FenaPrevi, Oswaldo do Nascimento. Sobre os desafios enfrentados, o ex-presidente afirma que todos se dedicaram para deixar suas contribuições: "o presidente que nos antecedeu fez sua parte, deixando a sede do CVG pronta para darmos continuidade aos trabalhos e o desafio foi resgatar alguns eventos tradicionais e dar continuidade aos atuais. Creio que conseguimos cumprir essa parte e naturalmente isso só foi possível em razão do engajamento e colaboração de todos os diretores, além de contarmos com o irrestrito apoio das nossas beneméritas. Analisando o realizado como evidenciado acima podemos afirmar que vencemos uma boa parte dos desafios.", observa. Sobreira também lembra que o inicio da gestão é sempre mais delicado, mas, ressalta que, vencido os primeiros seis meses e controladas as rotinas internas, tudo foi facilitado na sua gestão. Para os novos dirigentes da entidade, Danilo Sobreira frisa que concorrer em uma eleição e ser eleito com 86% dos votos, traz ao eleito uma enorme responsabilidade. "Temos certeza da consciência de cada um dos eleitos. Como o presidente Marcello Hollanda afirmou em sua campanha, que dará continuidade aos trabalhos desenvolvidos na gestão 2011/2013, diríamos: Fique atento às oportunidades; Não esqueça, "o recorde é obsoleto" e que Deus continue abençoando cada um de vocês e o sucesso estará garantido.", conclui. (Portal Segs/SP – 17/07/2013)

voltar ao topo





































Jornada Mundial da Juventude tem seguro da SulAmérica

Com ampla expertise, companhia cria seguro viagem específico para peregrinos e voluntários na visita do Papa e se prepara para grandes eventos no Brasil. A SulAmérica fechou parceria com a organização da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) para oferecer o SulAmérica Viagem aos peregrinos e voluntários que adquirirem o pacote pelo site do evento. A 28ª edição da JMJ, que deve atrair 1,2 milhão de visitantes à cidade do Rio de Janeiro, será realizada entre os dias 23 e 28 de julho e promoverá o encontro de jovens de todo o mundo com o Papa Francisco. O seguro viagem foi desenhado especificamente para este evento e atende tanto estrangeiros como brasileiros. “Esse tipo de seguro, formatado para grandes eventos, vai ser cada vez mais demandado no Brasil nos próximos anos, já que o País está se preparando para ser o destino de grandes eventos como Copa e Olimpíadas. A parceria com a JMJ reforça a posição única de relevância da SulAmérica no mercado, com a expertise necessária para atender essa demanda”, afirma o vice-presidente de Vida e Previdência da SulAmérica, Renato Terzi. Estão inclusos no produto serviços de assistência 24 horas, como assistência médico-hospitalar, prorrogação da estadia, remoção médica e traslado de corpo, além das coberturas para Morte Acidental e Invalidez por Acidente. Esses serviços e coberturas também estão disponíveis para os cariocas que adquirirem pacotes para participar das atividades da jornada. Para oferecer um atendimento diferenciado aos viajantes, a companhia disponibilizará uma central de atendimento exclusiva, com funcionamento 24 horas por dia durante os dias do evento. Em casos de acidentes ou ocorrências, o segurado terá todo o suporte necessário, com orientações sobre os procedimentos a serem adotados dentro dos serviços contratados. Sobre a SulAmérica A SulAmérica Seguros, Previdência, Investimentos e Capitalização, com 117 anos de história, é a maior seguradora independente do País. Desde outubro de 2007, integra o Nível 2 de Práticas Diferenciadas de Governança Corporativa da BM&FBovespa. Em 2012, registrou R$ 10,6 bilhões de receita em prêmios, o que representa crescimento de 12,5% em relação ao ano anterior. No primeiro trimestre de 2013 somou R$ 2,9 bilhões em receita de prêmios e obteve lucro líquido de R$ 23,6 milhões. Com mais de 6,7 milhões de clientes, a SulAmérica atua em cinco segmentos: Saúde e Odontológico; Automóveis e Ramos Elementares; Pessoas (Vida e Acidentes Pessoais) e Previdência Privada; Gestão de Ativos; e Capitalização. (Portal Segs/SP – 17/07/2013)

voltar ao topo





































Sabores juninos se destacam no cardápio do Hospital Unimed Piracicaba

Um cardápio tipicamente junino foi oferecido aos colaboradores do Hospital Unimed no decorrer da semana, entre 24 e 28 de junho. O Serviço de Nutrição e Dietética preparou receitas como lombo ao molho agridoce, cuscuz, creme de milho, espeto de frango, berinjela frita entre outras, acompanhadas de doces característicos como paçoca, doce de abóbora, pé de moleque e arroz doce. Os quitutes foram servidos durante o almoço, jantar e ceia no refeitório do HU. No decorrer da semana, sabores juninos também foram acrescentados à dieta dos pacientes internados, respeitando restrições alimentares. As copeiras responsáveis por servir as refeições trajaram chapéu de palha, alusivo à temática do mês. O clima junino também marcou a hora do café da manhã e da tarde dos aniversariantes do mês, no dia 26, composto por cachorro quente, pipoca, quentão (sem álcool), canjica e doces sortidos.

voltar ao topo





































Projeto Ser Sustentável da Unimed Itatiba lança nova fase da campanha “Eu ajudo na lata”

A Unimed Itatiba, a partir deste mês de julho, lança uma nova fase da campanha “Eu ajudo na lata”. Devido ao sucesso da arrecadação de lacres na cidade, a campanha passa a fazer parte do Projeto “Ser Sustentável”, o qual tem como objetivo despertar a consciência para o uso adequado e aproveitamento dos recursos, tendo como base o conceito dos 4Rs (Reduzir, Reciclar, Reutilizar e Recuperar). “A ação dos lacres vem de encontro com o objetivo do Programa Ser Sustentável. Vamos continuar envolvendo os colaboradores, cooperados, clientes e a comunidade em geral”, enfatizou Alessandra Pavan Guerra, da área de Responsabilidade Social da Unimed Itatiba. A campanha visa arrecadar garrafas pets com lacres de alumínio, que serão revertidos em cadeiras de rodas para instituições que necessitem. A campanha nacional terminou no dia 30 de junho. “A arrecadação foi um sucesso aqui em Itatiba. Conseguimos 215 garrafas pets com lacres e enviamos para a campanha nacional. Como as cadeiras de rodas serão sorteadas entre as cidades participantes, decidimos continuar com a campanha para ajudarmos as entidades daqui da cidade”, explicou Alessandra. Até o momento, a Campanha nacional Eu ajudo na lata arrecadou material suficiente para a aquisição de 8 cadeiras de rodas. A Unimed Itatiba já contabiliza mais de 50 garrafas pets de 2 litros com lacres de alumínio para essa nova fase da campanha. Para participar, basta ter vontade de ajudar! Junte lacres de latas de alumínio, coloque-os dentro de garrafas pets de 2 litros e traga para a Unimed Itatiba. As entidades que receberão as cadeiras de rodas ainda não foram definidas. Mais informações pelo telefone (11) 4534-9400 ou Av. Genaro Paladino, 150 – Vila Capeletto, Itatiba. Ser Sustentável Dando continuidade às ações do projeto Ser Sustentável, na quarta-feira, 10 de julho, a Unimed Itatiba fez mais uma doação à empresa Lixo Digital. No total foram mais de 45 equipamentos, entre teclados, mouses, CPU, estabilizadores e uma fragmentadora que estavam sem uso e não puderam ser recuperados, que tiveram o descarte correto, evitando a degradação e a agressão ao meio ambiente.

voltar ao topo





































Unimed Volta Redonda participa de reunião do Subcomitê de Atendimento Domiciliar

Representantes da Unimed Volta Redonda estiveram com diversos profissionais de todo Brasil no último dia 22, na singular de Salto em Itu no interior de São Paulo para dar continuidade às discussões sobre a padronização do sistema de atendimento domiciliar da Unimed. A proposta é que os pacientes estejam nos hospitais por poucas vezes, explica Amilcar J. R. Carvalho, diretor superintendente da Unimed Salto/Itu, “A ideia é que os pacientes fiquem menos tempo nos hospitais e possam concluir a sua recuperação ao lado dos seus familiares, recebendo o atendimento domiciliar”, explicou Amilcar. Os membros do subcomitê têm como objetivo a produção de um manual com para padronizar desde a nomenclatura até a estrutura dos serviços de atendimento domiciliar oferecido pelas singulares.

voltar ao topo





































A Unimed Sorocaba arrecada o equivalente a 300 garrafas pet de 2 litros em campanha

A Unimed Sorocaba colaborou com, aproximadamente, 300 garrafas pet de dois litros, cheias de anéis de latinhas, o que equivale a aproximadamente duas cadeiras de rodas. A arrecadação durou três meses e fez parte da campanha "Eu ajudo na lata", iniciativa da Unimed do Brasil. O objetivo era trocar 140 garrafas com anéis por uma cadeira de rodas. Ao todo foram arrecadadas oito cadeiras que serão sorteadas para entidades de todo o Brasil. “Ficamos muito satisfeitos e surpresos com a grande adesão da população à Campanha. O resultado ficou acima de nossas expectativas. O objetivo maior era conscientizar a população e foi o que aconteceu”, afirma Débora Afonso Ferrari, assistente de RSA. Em breve a Unimed Brasil dará mais informações sobre como será realizada a entrega das cadeiras.

voltar ao topo





































Unimed Goiânia amplia carteira de clientes

A Unimed Goiânia registrou, no mês de junho, um total de 332.486 beneficiários, sendo 44,51% no Coletivo Empresarial; 39,92% na modalidade Individual/Familiar; e 15,58% no Coletivo por Adesão. A opção de acomodação preferida pela maioria é a enfermaria (56,31%), enquanto o apartamento ficou com o restante (43,69%). A maioria dos beneficiários são mulheres (53,96%), enquanto homens somam 46,04% da carteira de clientes. O maior número concentra-se na faixa etária de 0 a 18 anos (26,63%); em seguida 29 a 33(11,30%); acima de 59 anos (10,39%) e 24 a 28 (10,24%). Veja a tabela para as porcentagens das outras faixas etárias. Em abril o total de beneficiários era de 327.656 e, mais uma vez, o diretor de Mercado da Cooperativa, Dr. Sérgio Baiocchi, incentiva toda a equipe de vendas a manter o empenho e a dedicação. Dr. Sérgio Baiocchi Carneiro "Acrescentamos mais 4.830 vidas em nossa carteira de abril para junho. Somos uma equipe, uma família, que coopera entre si para alcançar os melhores resultados de qualidade", afirma ele.

voltar ao topo





































Encerradas as inscrições para curso de cuidadores de 2013 na Unimed Varginha

A partir de agora as inscrições serão consideradas para a próxima turma, em 2014. Estão encerradas as inscrições da turma de 2013 para o Curso de Cuidadores, do Grupo Empresarial Unimed Varginha. As inscrições realizadas a partir do dia 16 de julho, pelo site www.unimedvarginha.coop.br, serão consideradas para a próxima turma, em 2014. O Curso de Cuidadores é um dos mais buscados em participações na Unimed Varginha. Ele é gratuito e oferece, à população interessada, noções básicas de cuidados com pessoas idosas ou acamadas. A capacitação é oferecida desde 2011, através do Setor de Atenção à Saúde. As turmas têm no máximo 30 pessoas, determinação do próprio setor responsável, para o melhor aproveitamento do conteúdo. Quando existe demanda de inscrições a maior do que a oferta de vagas, os candidatos passam por uma seleção prévia. O Curso de Cuidadores tem duração de duas semanas e aborda temas como: direito do idoso, assuntos sociais, fonoaudiologia, nutrição, psicologia, fisioterapia, primeiros socorros e demais conhecimentos necessários para os cuidados com pessoas idosas e acamadas. Outras informações com Flávio Braz, no Setor de Atenção à Saúde, pelo telefone 3690-7087 ou pelo site www.unimedvarginha.coop.br no link “Atenção à Saúde”.

voltar ao topo





































Colaboradores da Unimed Londrina participam da Campanha de Doação de Sangue 2013

Na última sexta-feira (12), das 8 às 12 horas, os colaboradores da Unimed Londrina participaram da campanha de doação de sangue, realizada em parceria com o Hospital Universitário de Londrina (H.U.), no pátio da Medicina Preventiva. Foram coletadas 30 bolsas de sangue e oito amostras para doação de medula óssea. No momento da chegada, os doadores apresentaram os documentos de identificação e foram encaminhados à pré-triagem. “Nesta etapa, fazemos exames para verificar os sinais vitais como temperatura, pulso, pressão arterial e dosagem de hemoglobina”, explica o auxiliar de enfermagem do HU, Silvano Mirabile. Na sequência, foi realizada a triagem clínica, em que houve uma entrevista para checar se o doador estava apto e se não foi exposto a situações de risco que pudessem impedi-lo de fazer a doação. Enquanto isso, o pátio da Medicina Preventiva já estava pronto para receber os colaboradores, que, aos poucos, foram chegando e sendo recepcionados pela equipe de auxiliares e enfermeiros do HU. O motorista do Serviço de Atendimento Domiciliar, Achiles Dias Filho, comparece todos os anos para participar. “Sou doador desde 1982 e desde que eu entrei aqui, há 13 anos, eu procuro doar sangue sempre que tem alguma campanha”, diz. A colaboradora Alexandra Regina Santos considera o ato de doar muito importante. “Sou doadora de sangue há muito tempo, desde a época em que fiz estágio no HU, e dôo medula óssea também. Acho que é um ato bonito da empresa, que envolve os colaboradores nesta campanha”, avalia. O auxiliar de enfermagem, Silvano Mirabile, explica que no momento da doação são coletados entre 410 e 460 ml de sangue e que alguns cuidados são necessários, mesmo após a coleta. “Como o organismo leva até 24 horas para repor o volume de sangue retirado, não é aconselhável praticar exercícios físicos, ingerir bebida alcoólica e fumar, logo em seguida e até no mesmo dia. O lanche também é oferecido para garantir a sensação de bem-estar”, esclarece. Os doadores que ainda não tem a carteira de doação vão recebê-la gratuitamente em um prazo de até 10 dias, com o resultado da sorologia e da tipagem sanguínea. Medula óssea Mirabile explica que, normalmente, em campanhas como esta o número de doadores de medula óssea é menor, pois ainda há pouco conhecimento a respeito do assunto, talvez pelo fato de as chances de compatibilidade com pacientes que precisam fazer o transplante serem remotas. “Os cadastros de doação são feitos e permanecem ativos de 18 a 55 anos, porque são necessários vários testes até achar um doador que seja compatível”, explica.

voltar ao topo





































Seguros Unimed realiza ação social voltada à saúde

Colaboradores da companhia realizaram atuação voluntária em instituição que atende comunidade carente em SP. A Seguros Unimed beneficiou 173 pessoas, entre crianças e adultos, no último sábado (13/07), no Lar das Crianças, instituição paulista no Alto da Boa Vista que atende comunidade carente da zona sul. Essa foi a segunda atuação de 2013 do Vida Sustentável, programa de voluntariado corporativo da seguradora, e teve como tema principal o “Cuidar da Saúde com Responsabilidade”. Na ocasião, os voluntários abordaram temas como boa alimentação, a importância da ingestão de água, vacinas e relevância do sono. O Vida Sustentável reflete o compromisso da Seguros Unimed em cuidar de pessoas. Em 2012, por exemplo, as atuações do programa de voluntariado e o Dia de Fazer a Diferença – dia em que é realizado um mutirão do bem com serviços de jardinagem e pintura em instituições espalhadas pelo País - contemplaram 2.186 pessoas e contaram com a participação de 185 voluntários da seguradora, entre matriz e escritórios regionais. As próximas atuações do programa em 2013 ocorrem, respectivamente, em agosto e setembro, e abordarão os temas Economia Doméstica, Meio Ambiente e Saúde. Responsabilidade Socioambiental Não é de hoje que a Seguros Unimed investe em ações sociorresponsáveis. No inicio de 2013, a companhia também patrocinou a peça Mães Iradas e promoveu a Oficina Baguncinha em três unidades do CEU (Centro Educacional Unificado) - Jaçanã, São Mateus e Perus. A iniciativa consistia na realização de workshops com valores socioambientais para promover a interação entre crianças e materiais reciclados. Na área da saúde, a seguradora incentiva constantemente práticas esportivas por meio de patrocínios às etapas do Circuito do Sol, Delta, Eco Run, além da Vênus e W Run, corridas só para mulheres. A cada ano, a Seguros Unimed reforça seu investimento em ações ecologicamente responsáveis, se engajada em minimizar impactos ambientais e conservar recursos naturais. Seus programas são variados: revitalização de praças, estímulo ao descarte correto de cartões feitos de PVC, por meio do Projeto Reciclo, campanhas de redução de energia e de impressão de papel na empresa, estímulo de práticas sustentáveis pelos colaboradores, entre outros.

voltar ao topo





































Polêmica em torno do “Testamento Vital” será debatida por Lívia Zago durante Convenção das Unimeds e Unicreds do Norte/Nordeste

A declaração antecipada de vontade, também chamada de testamento vital ou diretrizes antecipadas, é um conjunto de instruções e vontades apresentadas por uma pessoa especificando qual tratamento deseja receber no caso de padecer de uma enfermidade para a qual a medicina atual não dispõe de cura ou tratamento que possibilite ao paciente uma vida saudável física e mentalmente. E para falar sobre tão importante e complexo assunto, a Convenção das Unimeds e Unidreds do Norte/Nordeste contará com a presença da advogada Lívia Zago, membro efetivo da Câmara Técnica de Bioética do Conselho Federal de Medicina (CFM). Doutora em Direito pela Universidade de São Paulo (USP), Lívia Zago também integra a Comissão de É tica em Pesquisa do Ministério da Saúde e é uma especialista no assunto. A palestrante é mais uma atração dos eventos das Unimeds e Unicreds dos estados das regiões Norte e Nordeste, que ocorrem no próximo mês de agosto, no período de 28 a 30, no Radisson Hotel, em Maceió, Alagoas, tendo como tema central Saúde e Humanismo. Professora da USP, procuradora aposentada do município de São Paulo, procuradora da USP (2000-2006), assessora jurídica do gabinete da Reitoria da Universidade de São Paulo e com atuação marcante no Direito Público, Lívia Zago vai abordar o tema “Testamento Vital”, esclarecendo os pontos controvertidos e explanando a iniciativa que é feita pelo próprio indivíduo enquanto se encontra são, de modo que pode ser usada para guiar o tratamento de um paciente desde que se respeite a ética médica. Para conferir o debate em torno do “Testamento Vital”, bem como os demais temas que serão discutidos na 25ª Convenção das Unimeds Norte/Nordeste, 18° Simpósio de Cooperativismo de Crédito e no 22° Encontro da Mulher Unimediana, promovidos pelas Unimeds Norte/Nordeste, Alagoas e Maceió, em conjunto com as Unicreds Central Norte/Nordeste e Alagoas, além da Associação da Mulher Unimediana, basta o interessado acessar o www.unimednne.com.br/convencao e efetuar sua inscrição. Saiba mais - O palco escolhido para 25ª Convenção das Unimeds do Norte/Nordeste, 18° Simpósio de Cooperativismo de Crédito e o 22° Encontro da Mulher Unimediana é o Radisson Hotel Maceió, considerado um dos mais novos e modernos equipamentos da capital alagoana. Localizado na Praia de Pajuçara, que fica praticamente no centro da cidade e famosa por seus encantos naturais, sobretudo pelo calmo e aconchegante para o banho de mar, o hotel possui todos os benefícios para garantir seu conforto, bem estar e satisfação a um conceito de serviços de uma marca internacionalmente reconhecida.

voltar ao topo





































Unimed Leste Paulista envolve 850 alunos em concurso de redação

Concurso sobre o Meio Ambiente terá a participação de 13 escolas da Rede Pública de Ensino de São João da Boa Vista. “Preservar. Curta essa ideia”. Esse é o tema do concurso de redação, uma iniciativa da Unimed Leste Paulista em parceria com o Departamento Municipal de Educação de São João da Boa Vista, que objetiva divulgar ações voltadas à preservação ambiental, de forma a despertar nas crianças envolvidas o desejo de praticar essas e outras ações em prol da proteção dos recursos naturais. O concurso é destinado aos cerca de 850 alunos do 5º ano das escolas públicas de São João da Boa Vista. De acordo com a coordenadora da Comissão de Responsabilidade Socioambiental da Unimed, Anita Aparecida Tofanini, o concurso visa incentivar a pesquisa e a criatividade por meio da elaboração de texto, bem como propiciar aos envolvidos (estudante, família e escola), a sensibilização e conscientização sobre a importância de seus atos para a qualidade de vida das futuras gerações. O Concurso Os alunos terão até o dia 09 de agosto para entregar as redações, que deverão ser realizadas em sala de aula e sob a supervisão da professora da disciplina de português. A pré-seleção das redações será feita pelas escolas. Cada uma escolherá três redações que representarão a instituição. A seleção será feita entre os dias 12 e 23 de agosto, cabendo ao coordenador pedagógico de cada escola, entregar a redação escolhida no Departamento de Educação até o dia 26 de agosto, quando se inicia o processo de seleção das vencedoras. Critérios de Escolha Os vencedores serão escolhidos segundo os seguintes critérios de avaliação: criatividade, adequação ao tema, coesão (ligação de ideias, substituição, paragrafação e pontuação); coerência (clareza, organização das ideias); acentuação, ortografia, pontuação, concordância; estética (letra legível, margens regulares e ausência de borrões e rasuras). Premiação A comissão que analisará as vencedoras será formada por profissionais do Departamento de Educação e membros da Comissão de Responsabilidade Socioambiental da Unimed Leste Paulista, no mês de agosto de 2013, em data a ser escolhida a exclusivo critério da Unimed e do Departamento. Serão premiados os autores das duas melhores redações, sendo que o 1º colocado receberá um Tablet e o 2º colocado, uma máquina fotográfica. As professoras que aplicarem a redação aos alunos premiados também receberão o mesmo prêmio. A forma de entrega dos prêmios será definida posteriormente pela Unimed e comunicada diretamente aos representantes legais dos vencedores do Concurso

voltar ao topo





































Unimed-BH promove Media Training

Para fortalecer o relacionamento com os meios de comunicação e fortalecer a imagem e a reputação da Cooperativa, a Unimed-BH realizou um treinamento de porta-vozes, também conhecido com o Media Training. A iniciativa foi promovida em 25 de junho e 3 de julho, envolvendo gestores, superintendentes e coordenadores da Operadora e da Rede de Serviços Próprios. O dia 25 foi marcado pelas atividades teóricas. A palestra de abertura foi ministrada pelo filósofo e professor de Ética Clóvis de Barros Filho, um dos mais agudos e competentes críticos da Comunicação na atualidade. Em seguida, houve alinhamento do fluxo de atendimento à imprensa e de mensagens-chave da Unimed-BH, feito pela assessora de Relações Institucionais, Márcia Siqueira. O dia foi fechado pelas orientações da Press Comunicação, agência responsável pela assessoria de imprensa da Unimed-BH, sobre o funcionamento da imprensa. Já em 3 de julho foram realizados circuitos para simulações de entrevistas por telefone e para veículos de rádio, televisão e mídia impressa. Os participantes foram divididos em grupos, de forma que um integrante de cada equipe participasse da simulação de um tipo de entrevista. Os trabalhos foram conduzidos por jornalistas com larga experiência em cada um dos veículos.

voltar ao topo





































Presidente da Unimed Cerrado participa de comemorações do Dia do Cooperativismo na Câmara Federal

O presidente da Unimed Cerrado e assessor Político-institucional da Unimed do Brasil, José Abel Ximenes, representou o Sistema Unimed na sessão solene promovida pela Câmara dos Deputados para comemorar o Dia Internacional do Cooperativismo. O evento foi realizado, em Brasília, no dia 11 de julho, e reuniu parlamentares e representantes do setor cooperativista, que ressaltaram a importância das cooperativas, inclusive as de pequeno porte, para a economia nacional e como alternativa viável num contexto de crise. José Abel Ximenes, que representou o presidente da Confederação, Eudes de Freitas Aquino, destacou a necessidade urgente de aprovação do Ato Cooperativo. Ele lembrou que desde que assumiu a Assessoria Político-Institucional da Unimed do Brasil, em 2009, vem atuando intensamente em prol da aprovação do Ato Cooperativo e para que o texto contemple todos os segmentos cooperativistas. “Os atos praticados pelo cooperativismo médico devem estar contemplados no projeto”, enfatizou, ressaltando que, sem isso, poderão ocorrer graves prejuízos que podem comprometer a própria sobrevivência do Sistema Unimed. “É nesse sentido que continuaremos empenhados para que o Ato Cooperativo seja aprovado ainda neste ano”, afirmou Ximenes.

voltar ao topo